lavador de gás para capela

O que é um lavador de gás para capela?

Os lavadores de gases para capelas são desenvolvidos para utilização em laboratórios que manipulam ácidos e soluções alcalinas e tem como principal função neutralizar esses contaminantes, interligando-se com as capelas de exaustão de gases existentes nesses laboratórios.

Esses lavadores são pequenos, leves e portáteis, sendo perfeitos para essas aplicações por serem equipamentos com sua fabricação pensada para um trabalho prático e funcional em conjunto com as capelas químicas. 

Basta conectar esse tipo de lavador de gás diretamente na saída da capela e assim eles direcionam todos os gases que a capela soltar durante o processo para o sistema de lavagem. Utilizando-se de algumas soluções neutralizantes, que variam sempre de acordo com a propriedade da substância que encontra-se em manipulação, ele retém toda impureza agressiva e, como resultado, devolve ao ambiente um limpo.

Quando se pensa em lavadores de gases para laboratório, integrando-se ou não junto às capelas, devemos sempre lembrar que eles atuam no processo de transferência de massa  e com isso nos proporcionam a garantia da neutralização dos contaminantes, utilizando-se uma bomba hidráulica para que todo contaminante seja controlado de forma automática através de uma análise do pH e potencial de oxidação.

Principais utilizações dos lavadores de gases para capela 

Conheça abaixo alguns dos principais usos para um lavador de gases para capela:

  • Abater o vapor ácido e básico
  • Meio de controle de certos odores
  • Vapor de tanque de galvanoplastia
  • Abater certos fumos de óleo quente emitidos com a utilização de máquinas de estampagem
  • Abater a poeira emitida com a utilização de máquinas de lixar/cortar.

E qual o funcionamento dos lavadores de gases para capela?

Esses tipos de lavadores trabalham com o princípio de filtração baseado nas colisões de partículas tóxicas dos gases, utilizando-se da água como método de lavagem.

Para que haja uma boa interação com esses dois meios será necessário que tenhamos nebulização. Mas, essa nebulização terá facilidade tanto através dos gases tóxicos quanto através da água.

Cada partícula tóxica do gás entra nos lavadores de gases para capelas de exaustão através de um pequeno buraco, processo que faz essa entrada acontecer de forma acelerada e assim ocasionar a nebulização.

Com relação a água a mesma será dispersada para dentro dos lavadores de gases por meio de um spray com alta pressão, processo que também ocasionará a nebulização.

Após essas partículas tóxicas colidirem, elas serão expulsas dos lavadores de gases por um eliminador de gotas.

O que é uma capela industrial e de laboratório

Todas as capelas de exaustão são equipamentos utilizados como forma de exaurir todo e qualquer gás que possa aparecer através da interação entre os reagentes químicos.

Mas não é só isso, como forma de segurança elas dispõem de um grande vidro em sua parte frontal e, somente através de uma pequena abertura nesse vidro, será permitido que uma pessoa manipule os reagentes químicos que estão dentro da capela de exaustão.

Por conta disso é que esse tipo de capela é reconhecida como um Equipamento de Proteção Coletiva (EPC). Assim, por conta desse reconhecimento, existe a garantia de segurança de todas as pessoas que trabalham no laboratório.

Dessa forma as capelas de exaustão são utilizadas como uma barreira física, evitando quaisquer reações adversas durante o processo de interação entre dois produtos químicos, como explosões.

Como são construídos os lavadores de gases para capela?

Durante o processo de construção dos lavadores de gases para capela a moldagem das peças seguem alguns princípios estéticos, servindo para demonstrar o quanto as indústrias se preocupam em manter a unidade e a elegância das linhas de produção para cada um dos seus ítens produzidos e comercializados.

Na construção da carcaça dos lavadores de gases para capela são utilizados polipropileno soldado, material que é totalmente anticorrosivo. A sua construção é realizada de forma modulada, flangeado com polipropileno para assim facilitar o processo de montar, desmontar e eventuais manutenções corretivas ou preventivas.

Toda a estrutura que sustenta a parte hidráulica desses lavadores é construída em polipropileno, utilizando-se também desse mesmo material para a construção dos desumidificadores, como por exemplo os retificadores de fluxo. 

Na parte da tubulação de aspersão, de recalque e de drenagem também é utilizado na construção o polipropileno.

Cada pulverizador em polipropileno será calculado de acordo com a pressão e vazão que cada projeto demandar, tendo sua instalação em posições que permitem a completa varredura das seções de passagem dos gases.