Investimento conservador x arriscado: Como construir uma carteira de investimentos balanceada

Muitos investidores iniciantes costumam ter uma dúvida de como começar no mundo dos investimentos, sendo um investidor mais comedido ou mais arrojado. Muitos se preocupam como construir uma carteira de investimentos. E essa preocupação é muito importante, pois é no início que é traçado o seu perfil de investidor, sabendo assim quais caminhos você tomará para construir a sua carteira financeira de ativos. 

É através do perfil traçado são definidos os ativos que serão priorizados para sua carteira de investimentos. Depois de definir seu perfil, o conselho mais precioso que podemos te passar é que você estude muito antes de iniciar seus investimentos, seja qual for o seu perfil, procure livros, sites, tutoriais de Forex, tudo que te ajude a entender o mundo dos investimentos para ter total propriedade nas suas negociações.

A priorização quer dizer que mesmo seu perfil esteja indicando que você seja mais conservador ou mais arrojado nos investimentos, não quer dizer que necessariamente precise ficar preso somente a um tipo de ativos. A variedade é o que constrói uma carteira balanceada, por isso, existe a importância de que mesmo tendo prioridade em certos tipos de investimentos, é interessante ter alguma porcentagem da sua carteira nos que fogem um pouco do seu perfil.

Diversificando a sua carteira de investimentos

Manter a carteira balanceada é diversificar ela com ativos que são diferentes, pois quando um dos outros ativos não tiverem performando bem, o outro conseguirá manter a carteira de investimento positiva. Geralmente os investimentos são divididos em 2 grandes categorias: renda variável e renda fixa, o primeiro é para investidores de perfil mais arrojado, que não tem problema em correr riscos para ter ganhos maiores, já o segundo é para investidores mais conservadores, totalmente o oposto do anterior.

Quando você opta por renda variável, o risco é maior por conta da volatilidade do ativo, então o ganho também é mais elevado, mas não possui uma rentabilidade garantida, por isso, o risco é mais elevado. Enquanto na renda fixa é uma porcentagem já pré ou pós-fixada, que geralmente é baixa, mas em compensação o risco ao seu dinheiro é muito menor, isso evidencia a importância de ter um balanceamento entre segurança e ganhos na sua carteira. Fora que esta última ainda tem garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) de até 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) por pessoa por instituição financeira.

O ideal é que você tenha boa parte segura rendendo menos, mas que corra risco zero de perda, e arrisque outra parte em ações mais lucrativas, mas já com a consciência de que poderá perder esse investimento. Muitos investidores iniciantes às vezes terminam fazendo o contrário: alocando boa parte da sua carteira de investimentos na renda variável visando altos lucros e menos dinheiro na renda fixa. Essa sede por altos lucros pode trazer altos prejuízos também.

Tornando-se um investidor de sucesso

As estratégias que você adotar dirão o quanto de sucesso alcançará nesse meio, infelizmente muitos investidores começam de qualquer forma sem nenhum preparo, indo somente pela cabeça dos outros e acabam se dando mal. Esse é um grande erro, nem todo ativo que é bom para um tipo de investidor será bom para você, então não caia nesse erro, procure ações que combinem com o seu perfil, que você acredita, assim quando der certo o mérito é todo seu. Um caminho para começar é se tornando assinante ou membro de algum treinamento ou área de membros voltada para investidores, como por exemplo:

  • Jornada da Desfudência, da Natália Arcuri, do Canal Me Poupe;
  • Mentoria do Mil ao Milhão, do Thiago Nigro, do Canal O Primo Rico;
  • Empiricus Research, casa de análise de investimentos e
  • Suno Research, idem

Carteira de investimentos Primo Rico

Nesse vídeo de cerca de 2 anos atrás, Thiago Nigro mostra a carteira de investimentos Primo Rico. Como ele montaria uma carteira de investimento se tivesse em mãos R$1000,00 e uma outra carteira se tivesse R$10.000,00

Ele revela que alocaria os ativos em 25% em ações, 25% em FIIs, 25% em caixa e 25% em Ações/ETF/BDRS/etc no mercado internacional.

Veja mais no vídeo:

Seguindo todas as nossas dicas nesse artigo, principalmente a de se aprimorar no mundo dos investimentos, você conseguirá chegar aonde deseja. Não é um caminho fácil, mas é possível com muita dedicação.

Investimento conservador x arriscado