Inglês além do verbo to be, como aprender efetivamente?

Aprender uma língua nova é sempre uma ótima coisa que pode desencadear uma série de benefícios e vantagens para o indivíduo, porém, assim como ela abre diversas portas e oportunidades, a dificuldade é extremamente alta, e o processo tende a ser desafiador e demorado.

Mas falando de aprender uma nova língua, sempre pensamos no inglês, afinal todos os brasileiros têm contato constante com ela, desde o início de sua trajetória na escola, onde desde pequenos aprendemos o mais  básico como nome das frutas, cores, comidas, refeições e muito mais.

O domínio na língua inglesa é extremamente valorizado no mercado de trabalho e qualquer pessoa que possua fluência está sempre a frente de seus concorrentes, mesmo que o cargo não necessite da língua ainda assim é um enorme critério de desempate.

Isso acontece pois o inglês é chamado de língua universal, e isso ocorre por uma série de motivos, primeiro pois, a economia mundial tem em seu centro um país falante de língua inglesa, os Estados Unidos, que desde a década de 40 é a principal economia do mundo, e antes dele era o Reino Unido, que mais uma vez fala inglês.

Com isso, as maiores empresas do planeta são norte-americanas, o que influencia muito todo o mercado de trabalho, sempre que é necessário se comunicar com profissionais ou com estas corporações a língua é necessária. Como se não bastasse todo o foco da produção mundial de cultura e conteúdo também está em inglês, os melhores filmes quase sempre são de lá, as músicas mais populares são de artistas Estadunidenses ou que falem inglês.

E até mesmo a produção de matérias e estudos acadêmicos está em sua maioria em inglês, as universidades de todo o mundo, quando produzem seus estudos mais relevantes o fazem na língua.

Estes são apenas alguns dos principais fatores que fazem o inglês ser o que ele é, indispensável para os dias atuais seja para os estudos, trabalho ou até mesmo com o seu uso de forma corriqueira no dia a dia, com músicas, filmes, séries e peças.

Uma pessoa comum, que não possua acesso à língua não possui muitas opções a não ser ficar a mercê de traduções imprecisas e dublagens, sendo quase que completamente privado das atualizações do mercado, das novidades e lançamentos da cultura pop.

O inglês e o ensino brasileiro

Dadas as circunstâncias fica simples de identificar que a língua é essencial, mas como já foi dito, se aprende nas escolas desde muito cedo, como é que se passa quase uma década estudando algo e mesmo assim não o compreende de forma precisa e profissional.

Bom, isso pode ser uma grande contraversão para uma pessoa de fora, mas para nós brasileiros, não há confusão alguma, todos compreendem a baixa qualidade do ensino e o quão isso pode gerar atritos e problemas durante o andamento de um estudante.

A realidade é que mesmo estudando o inglês por muito tempo, ainda assim, os assuntos são quase sempre os mesmos com pouco aprofundamento e nenhuma aplicação prática, o que faz com que tudo seja uma grande perda de tempo.

São anos e anos aprendendo sobre o verbo to be com nenhum resultado prático, se for perguntar a qualquer um dos alunos de uma escola pública brasileira eles muito provavelmente não saberão sequer identificar o verbo.

Com isso resta aos mais esforçados e autodidatas buscarem por aprender de outras formas, sejam por escolas tradicionais de inglês ou até mesmo por cursos e aulas online.

Por isso, separamos neste artigo as melhores formas de se aprender inglês por conta própria e melhorar de vez a sua vida e carreira.

Aprender inglês com o dia a dia

Para começar, uma das formas mais comuns de se treinar e aprender inglês, que é estar presente em todos os lugares de sua vida, principalmente com o dia a dia.

Inserindo o inglês em sua rotina você vai melhorar muito a sua escuta,  e vai também deixar a comunicação mais natural, pois vai enriquecer muito o seu vocabulário e formas de se comunicar.

Aprender inglês do português

Um outro erro das escolas tradicionais é fazer com que os alunos abandonem o português, mas já era de se esperar, a intenção é muito boa, pois, com a privação da língua materna, o aluno se vê obrigado a pensar e falar no novo idioma, porém, é possível falar inglês através do português.

Isso acontece, pois, o português não é uma língua qualquer, os idiomas são “primos” ou seja, possuem a sua origem em uma só língua antiga já extinta, e para a sorte de nós brasileiros, das 500 palavras mais faladas em inglês 100 são muito parecidas ou idênticas a sua tradução.

Com isso, apenas sabendo o português é possível começar o seu aprendizado já compreendendo ao menos 20 % de tudo o que o inglês utiliza, como palavras, termos, sufixos e prefixos também.

Inglês além do verbo to be, como aprender efetivamente