Quem tem enxaqueca pode colocar botox?

A cirurgia de enxaqueca mira técnicas que poucas pessoas imaginam visando alcançar seu objetivo – livrar a paciente, ou o paciente, da enxaqueca, espécie de dor de cabeça generalizada que se reflete sobre o restante do organismo e que causa grande sofrimento aos que dela padecem.

Uma dessas técnicas é o uso de botox para o combate à enxaqueca.

Pode soar surpreendente, dado que a toxina botulínica (popularmente conhecida no Brasil apenas como botox) costuma ser associada apenas a tratamentos contra rugas na pele. Mas a cirurgia de enxaqueca com o uso de botox funciona, e demonstra a grande versatilidade de tal substância.

Enxaqueca: informações sobre a doença

Nada menos que 15% da população brasileira sofre com enxaqueca, segundo dados do ministério da Saúde. Isto corresponde a mais de 32 milhões de pessoas no país acometidas por tal doença. A grande maioria tem entre 25 e 45 anos. A enxaqueca é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um dos 10 males mais incapacitantes do mundo.

Em síntese, a enxaqueca é uma doença neurológica. Trata-se de uma dor de cabeça que vai do grau moderado ao forte. Ataca apenas um lado da cabeça. Costuma ser pulsátil (ou seja, as dores se manifestam em pulsos, também chamados de pontadas), e cada crise dura de 4 a 72 horas.

Enxaqueca crônica: uma doença persistente e dolorosa

A cirurgia de enxaqueca com o emprego de botox é um recurso a ser usado no caso de indivíduos que, todo mês, padecem por mais de 15 dias de dor de cabeça (a chamada enxaqueca crônica).

Trata-se de tratamento aprovado pela Agência de Vigilância Sanitária de nosso país, a Anvisa.

A enxaqueca crônica, especificamente, guarda as seguintes características:

  • Causa na pessoa uma maior sensibilidade à dor em geral, não apenas à de cabeça;
  • Prejudica fortemente a qualidade de vida do doente;
  • Causa distúrbios do sono;
  • Traz, por fim, o risco do surgimento de quadros de depressão e ansiedade.

Botox contra a enxaqueca crônica

A cirurgia de enxaqueca não é considerada de alta complexidade, mas deve ser levada adiante por um médico familiarizado com o manuseio da toxina botulínica – por exemplo, um cirurgião plástico.

Ela se dá da seguinte forma:

  • O paciente coloca-se sentado ou deitado;
  • É anestesiado entre 10 a 20 minutos antes do procedimento;
  • Pequenas unidades de botox são aplicadas, via injeção, em aproximadamente 31 pontos do corpo – face, têmporas, ombros, pescoço etc;
  • A operação termina. Entre 24 e 72 horas depois já se pode notar seus benefícios;
  • Tais benefícios da cirurgia de enxaqueca perduram por 2 a 6 meses. O paciente passa a sentir menos dor, e ela é menos intensa e duradoura.

Ocorrem efeitos colaterais devido à cirurgia de enxaqueca?

Geralmente não. Mas, quando ocorrem, são os seguintes:

  • Pequenos hematomas no crânio;
  • Dor no local onde ocorreu a injeção;
  • Edema (inchaço) no local;
  • Coceira leve.

Tais efeitos, quando surgem, são temporários. Tendem a desaparecer poucos dias após o procedimento cirúrgico.

Os indivíduos que sofrem de enxaqueca crônica (a que é controlada pelo uso do botox, tal como descrito) têm, acredita-se, um desequilíbrio bioquímico cerebral de origem genética. A enxaqueca propriamente dita é ativada por influências ambientais e comportamentais.

A boa notícia é que a cirurgia de enxaqueca com o uso de botox existe – e mostra-se grandemente eficaz no combate à doença.

Quem tem enxaqueca pode colocar botox