Receptores Canabinoides

Receptores Canabinoides: o que são e como eles podem nos ajudar

Conteúdo explicando sobre receptores canabinoides e sua relação com o corpo humano.

Os receptores canabinoides estão presentes no organismo de todos os seres humanos e fazem parte de um sistema complexo chamado endocanabinoide. Divididos em dois tipos principais – o CB1 e o CB2 – eles são ativados por substâncias que nós mesmos produzimos, os endocanabinoides, ou substâncias que consumimos, como por exemplo, os canabinoides da planta cannabis. 

Em outras palavras, os receptores canabinoides funcionam a partir de estímulos internos ou externos, e atuam para o funcionamento das mais diversas partes do corpo.

Encontrados principalmente na superfície das células, os receptores canabinoides modulam uma variedade de processos fisiológicos, incluindo apetite, sensação de dor, humor e memória.

Neste artigo, iremos abordar sobre como eles podem ajudar no funcionamento do corpo. 

Confira conosco e boa leitura!

O que é um fito canabinoide?

O conceito de receptor é mais comum às pessoas, por isso é importante compreender sobre o que é um canabinoide antes de explicar as suas funções.

Em resumo, um fito canabinoide é uma forma genérica de se referir a uma das substâncias extraídas da planta cannabis sativa, popularmente conhecida como maconha e que faz parte das plantas do gênero angiosperma.

Ainda que exista mais de 150 canabinoides identificados, duas se destacam pelo avanço nos estudos, que são o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC). As duas substâncias possuem estrutura similar, mas apresentam propriedades terapêuticas e efeitos diferentes.

OCBD é o composto, até o momento, mais utilizado para a composição de medicamentos à base da planta, e ele atua nos receptores CB1 e CB2, que citamos aqui em cima.

Outros canabinoides da planta e suas propriedades

Os receptores canabinoides se ligam nessas substâncias presentes na cannabis para realizar suas ações. Além do CBD e do THC, outros canabinoides frequentemente presentes na planta são:

  • Canabinol (CBN): esse canabinoide apresenta potencial terapêutico como antimicrobiano, anti-inflamatório, analgésico e estimulador de apetite. 
  • Canabigerol (CBG): há propriedades neste canabinoide que podem ser bactericidas, analgésicas e anti-inflamatórias. Ele ainda pode amenizar a psicotoxidade potencialmente ocasionada pelo THC.
  • Tetra-hidrocanabivarina (THCV): Semelhante ao THC na composição mas, ao diferentemente deste, pode diminuir o apetite e ainda controlar níveis de açúcar no sangue, além de atuar como 
  • Canabicromeno (CBC): Os estudos iniciais sobre o CBC apontam sua capacidade de aumentar os níveis de alguns endocanabinoides naturais do corpo, como por exemplo, a anandamida – relacionada às sensações de prazer e bem-estar..
  • Canabidivarina (CBDV): Similar ao CBD, estudos vêm apontando o CBDV na epilepsia, devido suas propriedades anticonvulsivantes. 

Por que temos receptores canabinoides?

Não apenas humanos possuem receptores canabinóides, mas todos os animais vertebrados, moluscos e hydras (celenterados) possuem. Os receptores e os ligantes endocanabinoides exercem diversas funções fisiológicas, como a modulação da dor, do humor, apetite e memória.

Milhares de estudos científicos demonstram as propriedades terapêuticas dos canabinóides e a importância do sistema endocanabinoide para o desenvolvimento humano. Esses estudos se mostram tão promissores que existem, por exemplo, cursos de cannabis medicinal exclusivamente voltados para médicos para a  aplicação dos derivados canabinoides para fins medicinais. 

Isso porque o sistema canabinoide realiza funções primordiais para a regulação e o funcionamento de todos os outros sistemas do corpo, como o, neurológico e imunológico, cardiovascular e digestivo

Onde ficam os receptores canabinoides?

Os receptores canabinoides estão inseridos na membrana celular dos mais diversos órgãos, juntamente às proteínas-G. Isso significa que eles participam dos mais diversos processos de transmissão de neurotransmissores e controle do metabolismo celular. 

O  sistema endocanabinóide está presente no cérebro, órgãos, tecidos conjuntivos, glândulas e nas interseções entre um sistema e outro.

Logo, ele permite a comunicação e coordenação entre as células e afetam diretamente diversos mecanismos da fisiologia humana. Por exemplo, a pressão arterial , apetite, controle muscular, metabolismo, resposta ao estresse, humor, memória, entre outros.

Ação do CBD nos receptores canabinoides

Diferente das propriedades relacionadas ao THC, o CBD não possui potencial psicotóxico e tem se mostrado bastante promissor no tratamento de diversas doenças. Isso porque ao estimular os receptores canabinoides, o CBD influencia diretamente no comportamento dos mais diversos neurotransmissores.

A partir disso há alterações na percepção da dor, apetite, sono e até mesmo nos processos inflamatórios. Na prática, isso significa um estímulo que pode tratar sintomas psiquiátricos como ansiedade ou depressão, até proporcionar um melhor funcionamento do aparelho digestivo ou gênito-urinário.

Além disso, o estímulo dos receptores canabinoides e não canabinoides através de medicamentos à base de CBD durante as crises epilépticas, reduz a hiper excitação cerebral, reduzindo as crises convulsivas. Adicionalmente, esses medicamentos também auxiliam na redução da rigidez muscular frequentes na esclerose múltipla e na doença de Parkinson.

O que são receptores CB1 e CB2?

Os dois principais receptores canabinoides foram nomeados como CB1 e CB2. Eles não são os únicos receptores desse complexo sistema, mas são os mais explorados até o momento

O CB1 está predominantemente presente no sistema nervoso central, fígado, rins e pulmões. O CB2 por sua vez, é principalmente encontrado nas células e tecidos do  sistema imunológico.

É importante notar que ambos os receptores estão presentes em diversas células cerebrais.

Propriedades do CBD no sistema endocanabinoide

Quando estimulados pelas substâncias extraídas da cannabis, os receptores CB1 e o CB2 são capazes de exercer ações analgésicas, anti-inflamatórias, ansiolíticas, anticonvulsivantes, anti-eméticase neuroprotetoras.

CBD e THC oferecem múltiplas aplicações para diversas patologias e sintomas, por exemplo, em pacientes oncológicos, para minimizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia.

A melhor compreensão do sistema endocanabinoide dos receptores canabinoides e dos seus principais ligantes se faz necessária para a ampliação de estudos e aplicações terapêuticas na área.