Fusion food

Fusion food, a culinária originária de diferentes países

Conheça tudo sobre a culinária que combina diferentes alimentos, sabores e temperos.

Fusion food, em português “cozinha de fusão”, combina elementos de culinárias diferentes, criando pratos criativos, intrigantes e excêntricos. Muitas vezes essa mistura utiliza dois ou mais tipos de ingredientes de cada país, como legumes, carnes e peixes

Você já experimentou essa nova culinária? Seus sabores são curiosos e desconhecidos. No Brasil, existem diversos chefs que utilizam essa combinação inovadora, compondo a gastronomia brasileira. Acompanhe este conteúdo e entenda o conceito, exemplos e as especificidades da fusion food.

Qual o conceito de fusion food

Esse termo surgiu na década de 70 com o movimento nouvelle cuisine — que combinava alimentos das culinárias japonesa e francesa. Ele teve como seus principais representantes os irmãos Pierre e Jean Troigros, Alain Chapel, Michel Guérard e Paul Bocuse. Seu surgimento foi na França, onde rapidamente conquistou cozinheiros. 

No entanto, a cozinha de fusão é marcada pela combinação de culturas junto à criação de pratos diferentes e criativos. Basicamente, a fusion food é consequência da globalização de ingredientes, técnicas e culturas. Isso demonstra um enorme intercâmbio cultural, proporcionando troca de experiências e desenvolvendo alimentos maravilhosos. 

Exemplos de fusion food 

Um exemplo dessa combinação de ingredientes e sabores é o talharim tailandês, que mistura broto de feijão, frango, camarão seco, amendoim e especiarias, proporcionando um deleite para os paladares. Temos também o filé de peixe grelhado e finalizado com coco, curry e tomate-cereja sobre o cuscuz marroquino. 

Outro prato popular que combina diferentes estilos de cozinha é o Ceviche Nikkei. Trata-se de uma refeição tradicional do Peru que surgiu há mais de 100 anos quando o país recebeu imigrantes japoneses — o que proporcionou a união de alimentos dos dois locais. Nesse prato, há uma mistura de peixes frescos, vinagre de arroz, raspas de limão, missô e gengibre. 

Além disso, existe a mistura da comida indiana, brasileira e tailandesa, que combina ingredientes do Brasil com masala indiana e temperos tailandeses. Na fusion food, o mais importante é a criação de pratos gostosos e intrigantes. 

Mais um exemplo é o hambúrguer de sushi. Você já ouviu falar ou experimentou? Esse alimento representa bastante a gastronomia japonesa no Brasil — que é bastante baseada na cozinha de fusão.

O mercado da fusion food

No Brasil, existem diversos restaurantes que permitem degustar essa mistura de temperos e ingredientes de culturas variadas. Muitos deles apostam nessa gastronomia para desenvolver sua própria identidade e atrair novos consumidores. 

Geralmente, os chefs criam pratos exóticos e exclusivos em seus estabelecimentos, que despertam interesse no público. Com essa ação, esses profissionais inserem novos ingredientes, temperos e sabores. 

Contudo, os chefs de cozinha mais tradicionais criticam essa forma livre de preparar os alimentos e não acreditam nessa combinação de ingredientes de outras culturas. Eles reforçam a necessidade de elaborar pratos de acordo com a tradição, sem que se perca sua identidade. 

Apesar disso, são duas tendências diferentes e o que vale na gastronomia é a curiosidade dos clientes. Além do mais, os chefs que praticam a fusion food vibram com suas criações e expressam sua personalidade nos pratos. Nesse sentido, os brasileiros amam novidades e misturas de sabores deliciosos.

Quando falamos da cozinha de fusão, temos como referência o chef californiano Hugh Carpenter. Ele é autor do livro Cookbook Food Fusion, que diz para esquecermos a técnica e usarmos a criatividade para misturar diversos ingredientes. 

Portanto, a fusion food apresenta receitas exclusivas que resultam em sabores surpreendentes, garantindo uma experiência única, rica em sabores e aromas. Trata-se de um convite para tirar o paladar da zona de conforto e explorar os sentidos sem medo.