Policial feminina

Policial feminina, o que é preciso para ser uma e os desafios

Com certeza você já deve ter percebido a presença de policial feminina por aí, não é mesmo?

Portanto, engana-se quem pensa que a polícia não é ambiente para mulher, pois é sim.

Inclusive, cada vez mais vem aumentando a presença de mulheres dentro deste espaço e várias delas participam de concursos.

Entretanto, é preciso que você entenda algumas questões, em especial sobre o que é preciso para se tornar uma policial mulher e os desafios que vai enfrentar dentro da corporação. Confira!

Mas afinal, como ser uma policial feminina?

Este é um questionamento não muito fácil de ser respondido, dadas as peculiaridades do gênero e do seu emprego na atividade policial, mas se tornar uma policial mulher é relativamente simples, demandando apenas força de vontade, dedicação e muito estudo.

Em suma, para você conseguir trabalhar na polícia, é necessário, obviamente, cumprir todos os requisitos do edital, se inscrever no concurso e em seguida ser aprovada em todas as etapas dele.

Afinal de contas, há várias etapas envolvendo o processo de seleção, para que sejam realmente selecionadas as melhores, com melhor aptidão e desempenho, sendo estas as ocupam as vagas.

Todavia, boa parte dos estados precisam constantemente renovar os policiais nas ruas, nas mais diversas atividades policiais.

Dessa maneira, é comum que sempre estejam surgindo concursos para a polícia, em um intervalo de tempo razoavelmente curso, ou seja, você terá várias oportunidades de se tornar uma policial e poderá aproveitá-las assim que estiver pronta.

Para isso, é importante escolher uma polícia da qual você deseja fazer parte e focar a sua preparação naquela instituição. Assim, você poderá estudar para as disciplinas mesmo sem os editais publicados, com base nos editais anteriores.

Quais os requisitos para ser policial feminina?

As exigências referentes aos requisitos variam de acordo com o cargo e também segundo as unidades federativas.

Porém, há algumas exigências básicas que você deve cumprir, dentre elas estão:

  • Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa, neste último caso sendo amparada pelo Estatuto da Igualdade entre Brasileiros e Portugueses;
  • Ter nível médio ou superior (a depender do cargo desejado);
  • Estar em gozo dos seus direitos políticos;
  • Não ter pendências eleitorais;
  • Ter idade mínima de 18 anos no dia da posse;
  • Ter Carteira de Habilitação Nacional, categoria B ou superior em validade;
  • Não estar cumprido e nem ter qualquer tipo de sanção criminal;
  • Ter conduta responsável e idoneidade moral inatacável, pois é feita uma investigação social e da vida pregressa;
  • Ter aptidão mental e física para exercer o cargo.

Além de todos esses requisitos, é importante mencionar que alguns editais estipulam uma altura mínima para ser policial feminina, geralmente de 1,55 metros.

Todavia, há aqueles editais que não surgem com esse critério, mas é importante observar e fazer a leitura do documento antes de realizar a sua inscrição para o concurso.

Clique aqui e fique por dentro de todas as informações sobre o concurso da Polícia Civil da Paraíba 2022, que está oferecendo 1.400 vagas, com salários variando entre R$ 3.726,73 e R$ 37.016,86 no topo da carreira.

Conheça as etapas de seleção

Como dito, para se tornar uma policial feminina você precisa passar pelas etapas dos concursos, além de cumprir as exigências, que foram vistas acima.

Geralmente, nos editais você encontra as principais fases a qual você será submetida, o que pode mudar de estado para estado.

Contudo, é importante entender um ponto: as fases são as mesmas para ambos os sexos e todos os candidatos precisam passar pelos mesmos testes.

De modo geral, as etapas podem ser as seguintes:

  • Prova objetiva;
  • Prova discursiva;
  • Prova prática;
  • Exame de aptidão física;
  • Avaliação psicológica;
  • Investigação social;
  • Curso de formação.

Como é o TAF feminino?

O TAF (Teste de Aptidão Física) é uma forma de avaliar se a mulher está apta para exercer o cargo desejado.

Assim como muitos critérios e exigências, tudo depende do estado, bem como do cargo que se deseja exercer.

Entretanto, são feiras sim, as avaliações físicas para as candidatas da área policial. Sendo assim, é preciso apenas realizar o teste e ser aprovada, independentemente de se ter uma deficiência ou não.

Afinal de contas, através do TAF é possível fazer uma avaliação da capacidade física, conferindo assim se você consegue cumprir o seu cargo, pois, como se sabe, no dia a dia da policial feminina algumas atividades são realizadas.

Geralmente, os testes aplicados para que se confira a aptidão física são:

  • Teste de abdominal;
  • Teste de meio-sugado;
  • Teste de corrida de 12 minutos;
  • Teste de barra estático;
  • Teste de Shuttle Run.

Para ser aprovado, é necessário conseguir um aproveitamento mínimo necessário, sendo que alguns exercícios podem ter caráter eliminatório e disponibilizarem apenas uma tentativa para a execução.

Ao finalizar, os resultados das candidatas são analisados e comparados através de uma tabela, tendo assim o aproveitamento total a partir de uma pontuação alcançada.

Como é o curso de formação para policial feminina?

Como dito, ainda é preciso passar pelo curso de Formação Profissional, que também tem caráter eliminatório e classificatório, geralmente tendo uma variação de 350 horas até 1.400 horas presenciais e acontecendo em tempo integral, dependendo do cargo e da instituição.

Em suma, nos cursos os candidatos devem realizar tarefas que serão feitas no dia a dia do trabalho, podendo, inclusive, acontecer aos sábados, domingos e feriados.

Quais os desafios de ser uma policial feminina?

Por ser uma profissão composta majoritariamente por homens, um dos grandes desafios enfrentados pelas mulheres é o machismo dentro da corporação.

Para superar essa etapa, o ideal é realmente não levar em consideração os comentários maldosos e mostrar serviço.

Isso porque, é a partir de um bom trabalho que se torna possível ser recompensada, seja com promoção, medalhas e com o respeito dos demais membros das instituições, sejam eles homens ou mulheres.

Inclusive, como já mencionado, vem se tornando cada vez mais comum a presença de mulheres na polícia, e isso só mostra que a realidade está mudando e a perspectiva é de melhoras.

Além do ambiente machista, as mulheres estão mais propensas também a encontrem desafios para lidarem no dia a dia no trabalho, em especial com os delinquentes, dadas algumas características peculiares da mulher.

Porém, novamente é um detalhe que deve ser superado caso se tenha o desejo de crescer dentro da corporação, tendo em vista que as instituições possuem critérios técnicos para emprego das policiais em diferentes atividades, considerando suas particularidades.

Conclusão

Se tornar uma policial feminina é um desejo muito comum entre algumas mulheres, porém boa parte delas não sabem como se tornar uma.

Dessa forma, aqui você entendeu exatamente o que é necessário fazer, quais são as etapas envolvendo a seleção e muito mais.

Inclusive, você conheceu até mesmo os desafios existentes, podendo assim preparar-se da melhor forma para entrar na polícia e superar os obstáculos.