Como aplicar feedbacks de maneira assertiva

Como aplicar feedbacks de maneira assertiva!

O feedback é uma prática crucial dentro das organizações e precisa ser bem estruturado para ter efetividade

Para ter uma boa retenção de talentos dentro de uma organização é preciso investir em ações para os colaboradores e dar feedbacks é uma prática essencial para engajar, motivar e manter suas pessoas na jornada de sucesso.

O feedback não é apenas uma conversa solta, em alguns dias no ano, mas é uma prática que deve ser levada a sério, com estratégias e processos para que seja assertiva. Você sabe como dar feedback? Saiba mais sobre esse importante momento!

O feedback

O feedback é um retorno a respeito de algum trabalho realizado, seja interna ou externamente. Ou seja, ele pode vir do funcionário para a chefia, da chefia para o colaborador ou dos clientes para a empresa.

Existem diferentes tipos de feedbacks, que podem ser utilizados em diferentes momentos, mas todos eles precisam ser bem estruturados para ter o mais alto nível de assertividade.

É muito comum que as pessoas liguem feedbacks a respostas e avaliações negativas, mas o primeiro passo é entender que isso não é verdade.

Esse retorno serve para diversos objetivos e vai além da crítica, podendo ser utilizado para diagnosticar as atividades, indicar melhorias de desempenho e comportamento, alinhar expectativas e resultados, estabelecer metas e objetivos, coletar retornos e opiniões sobre o negócio, entre outros.

Feedback assertivo

Em qualquer que seja o objetivo do feedback, ele não pode ser dado de qualquer forma e é necessário cumprir alguns critérios para garantir que o retorno tenha qualidade e gere resultados.

Esse é o chamado feedback assertivo e tem algumas características específicas. São elas: 

  • Aplicável: O feedback precisa ser dado em relação a uma atitude ou comportamento que pode de fato ser mudado no colaborador.
  • Neutro: O feedback não pode vir com julgamento ou generalização. É fundamental em um feedback assertivo que ele seja feito com neutralidade, indicando as situações que tem atrapalhado um bom desempenho do profissional, mas sem condenação.
  • Específico: O feedback precisa ser voltado a uma característica específica e não à pessoa, então, antes de fazê-lo, atente-se a entender qual é o foco.
  • Oportuno: O feedback assertivo é aquele dado em um momento oportuno, ou seja, o mais próximo possível do evento ocorrido. Além disso, precisa ser fornecido em uma situação que evite qualquer tipo de constrangimento para quem estiver recebendo.
  • Direto: O feedback só se tornará assertivo se for exposto de forma clara. É preciso chamar a pessoa com quem se quer falar e pontuar o necessário para evitar conversas de corredor e informações erradas.
  • Comprovado: É preciso citar quais as situações e exemplos claros de atitudes e comportamentos que ocasionaram o feedback para o que colaborador consiga ter como exemplo para se basear.

Como dar um feedback assertivo?

Como você viu, para que um feedback seja assertivo é importante que ele tenha as características que citamos anteriormente. Para que ele seja ainda mais claro e dê resultados é importante que aquele que dará o feedback tenha atenção a sua fala e ações e:

Tenha clareza e seja direto

Vá direto ao ponto e tenha certeza de que sua fala esteja clara para que o funcionário entenda qual situação você está se referindo. Abra espaço para dúvidas e tenha certeza de que o que foi dito foi de fato compreendido.

Não tenha julgamentos

É preciso ter empatia e inteligência emocional para fazer feedbacks assertivos. É preciso esquecer problemas pessoais e de julgamentos pré-estabelecidos e pensar apenas na situação positiva ou negativa do trabalho.

Foque em mudanças e soluções

O objetivo principal não é ficar evidenciando o problema ou criticar o colaborador (caso o feedback seja negativo), mas sim encontrar uma solução para ele.

Portanto, trace estratégias e ideias para que o colaborador saiba para onde ir e quais os passos seguir para aperfeiçoar em sua conduta e estrutura de trabalho.

Lembre-se de que feedback nem sempre é negativo

Como já falamos, nem sempre o feedback é negativo e não se pode esquecer de dar retornos positivos para seus colaboradores para mantê-los motivados e engajados em suas funções. Mostre o que cada um tem de melhor, reconheça resultados e não deixe de elogiar seus times.

Dar feedbacks e receber é crucial para o crescimento pessoal e profissional dentro das empresas e ele deve ser bem estruturado para os melhores resultados. Como você pratica essa ação em sua empresa? Siga nossas dicas e acerte nos feedbacks!