VELOCIDADE DA LUZ

QUAL A VELOCIDADE DA LUZ?

Sendo uma das constantes mais importantes da Física Moderna, a velocidade da luz foi e continua sendo um importante meio para elaboração de teorias e cálculos dos mais triviais possíveis.

Que ajudam na obtenção de respostas acerca do universo e do comportamento das partículas.

Mas, o que de fato é a velocidade da luz, e como ela pode ser medida? Essas perguntas te deixaram curioso(a)?

Tudo certo, neste artigo te responderemos, essas e outras questões que são inevitáveis para entender como funciona e o que é a velocidade da luz.

Portanto, para saber mais sobre o assunto, continue conosco!

Afinal, Você Sabe qual a Velocidade da Luz?

Em números, a velocidade da luz pode ser calculada como 299.792.458 metros por segundo, no entanto, são diversos os questionamentos sobre a propriedade da velocidade da luz.

O que queremos dizer com isso? Bem, qual o sentido dessa representação para física? Por que esta medida, e não outra?

Para ajudar a solucionar estas respostas, um cara chamado Paul M. Sutter criou um artigo, que foi publicado na revista Space, para auxiliar nestas questões e ainda apresentar uma série de curiosidades sobre todo esse universo que permeia o assunto.

Pra se Chegar num Consenso, Precisamos ir Lá Atrás

A velocidade da luz é um termo bem comum, e talvez você já tenha até discutido com outras pessoas do seu cotidiano sobre o assunto; ele está presente nas páginas sobre UFOs, nas revistas de física, nos livros de ciência, e tantos outros.

Mas foi lá no século XVII, que o astrônomo Ole Romer, percebeu pela primeira vez que a luz realmente tem velocidade.

Ele era fascinado pelos corpos celestes e começou a perceber que a nossa Lua tinha movimentos estranhos ao se movimentar em torno da Terra.

Diante disso, Romer começou a notar que em algumas ocasiões, o planeta tampava por completo a visão da Lua na Terra, ocasionando no que conhecemos hoje por eclipse.

Ainda que parecesse um processo comum, pode-se notar que ao longo dos anos o tempo desses eventos começou a mudar, de forma que se percebesse que haveria algo fora do normal ou alguma influência externa exercendo força sobre os corpos celestes.

É com base nisso que o astrônomo chegou à conclusão de que a luz leva um certo tempo para chegar até um determinado ponto de nossa própria órbita.

Ou seja, quanto mais afastado de uma determinada fonte de luz, mas tempo ela terá para chegar até nós; da mesma forma, quanto mais perto, menos tempo ela terá para nos alcançar.

Deste modo, é que surgiu o conceito de velocidade da luz, que diz que toda luz tem uma velocidade finita.

Com o passar dos séculos, as informações acerca deste tema foram se tornando cada vez mais sólidas e, somente a partir do século IX, é que o tema se tornou debate de estudo.

Nessa época, o físico James Clerk Maxwell “descobriu a luz” pela primeira ao brincar com equipamentos de eletricidade e magnetismo, que deu margem a um conceito totalmente novo e capaz de explicar todas as observações e dúvidas que tinha sobre o assunto.

A partir de então, Maxwell ficou responsável por levar um dos conhecimentos mais importantes da física.

Que diz que alterações em campos elétricos podem gerar campos magnéticos – traçando assim o que conhecemos por força eletromagnética.

Ao realizar os cálculos dessas ondas, Maxwell confirmou o que havia sido ditos séculos antes sobre a velocidade da luz: de que a luz é feita de ondas eletromagnéticas e se propaga nessa velocidade porque seu elemento a faz se deslocar desta maneira.

Velocidade da Luz: um Termo Bem Diferente do que é Luz

Anos depois, surge Albert Einstein, que revelou que a velocidade da luz nada tinha a ver com a luz em si.

Diante disso, o físico concluiu que tempo e espaço são grandezas físicas que trabalham em conjunto, embora sejam totalmente diferentes.

Para chegar nessa conclusão, primeiramente, o cientista descobriu que entre as duas havia uma constante, isto é, uma força que as tornariam iguais ou equivalentes.

E é aqui que entram os estudos de Maxwell, que lá atrás já havia presumido o que seria a velocidade da luz, afinal, Einstein comparou suas pesquisas com a de Maxwell e percebeu que ambas as ideias eram parecidas entre si.

O cientista notou que a velocidade da luz não se refere a ondas eletromagnéticas, mas sim, que a luz poderia ser determinada desta maneira.

A grande revelação que Einstein promulgou nos campos da Física, é de que a velocidade da luz se trata de apenas uma unidade que mostra como partículas sem massa se propagam pelo vácuo.

E para os campos da ciência, essa é uma das alegações mais importantes da área.

Conclusão

Ao definir uma nova unidade de medida, como ocorreu com o descobrimento da velocidade da luz, não se faz mais necessário realizar cálculos complexos de constantes já bem estabelecidos.

Deste modo, é possível unir conceitos de duas grandezas físicas – tempo e espaço – em uma única variável que exemplifique a união dessas duas grandezas.

Para ser mais específico, o que antes era uma questão conflituosa, hoje em dia se tornou uma solução.

Uma vez que tudo o que devemos realmente priorizar são estudos futuros sobre novas descobertas, e como podemos usar esta informação para ir muito além das estrelas.

E quanto a pergunta sobre qual a velocidade da luz? Bem, certamente ela já está bem definida e não há mais com o que se preocupar; mas agora, devemos buscar novas respostas que só o tempo dirá.

O que achou deste artigo? Foi útil? Já sabe como funciona a velocidade da luz e o quanto ela é importante para a nossa vida aqui na Terra? Conta pra gente, queremos saber!

Ah, e se você gostou, compartilhe com outras pessoas, assim você ajuda o blog e a gente sempre conseguirá te entregar conteúdos como esse.

Até a próxima!