Riscos de picada de inseto em cães e gatos

Riscos de picada de inseto em cães e gatos

Falaremos neste texto sobre os riscos de picada de inseto em cães e gatos. O organismo dos animais reage ao veneno e, além de causar desconforto, as alergias podem evoluir para quadros graves.

Você acha fofo ver o seu cãozinho ou gatinho tentando pegar um inseto pela casa? Em alguns casos, a cena pode não ser tão legal. As picadas de formigas, abelhas, mosquitos e outros insetos podem causar problemas aos animais domésticos, desde incômodos até reações alérgicas sérias.

O convívio entre eles pode até ser natural, porque está previsto pela natureza, mas muitos insetos têm veneno e alguns animais podem ter reações graves a essa substância. Os tutores devem ficar sempre atentos para notar se o animal está interagindo com insetos e, se possível, evitar que esse contato aconteça.

É muito importante observar o comportamento do pet e procurar uma clínica de confiança caso desconfie que uma reação alérgica está acontecendo. A maioria dos animais sente apenas um desconforto com as picadas, mas alguns são mais sensíveis e precisam que o tutor esteja atento a isso.

Em geral, só é possível saber que o animal é alérgico quando ele desenvolve a reação alérgica. Além de coceira, nesses casos, o animal pode sofrer com inchaços, vômito, aceleração dos batimentos cardíacos e problemas para respirar.

Não é brincadeira. Em situações mais graves, especialmente se houver muitas picadas, as reações podem até representar risco para a vida do animal. Se o bicho foi atacado por vários insetos, a consulta a um especialista é ainda mais recomendada, mesmo que ele não apresente sintomas.

Também existe a possibilidade de os insetos serem transmissores de doenças para os animais, assim como para os humanos. Só é possível saber se o animal apresentar algum sintoma, mas, de toda forma, o ideal é manter livres de insetos os ambientes em que o animal mais circula, dedetizando a casa com regularidade, por exemplo.

Meu bichinho foi picado. E agora?

Apenas um veterinário pode avaliar a gravidade da alergia e a necessidade de fazer exames ou entrar imediatamente com medicação. No entanto, o tutor também tem papel fundamental, justamente por ser ele quem decide se há ou não necessidade de procurar um especialista.

Ao notar que o seu pet foi picado por algum inseto, a primeira coisa a fazer é reparar se ele está se comportando de maneira estranha. Em seguida, a dica é examinar a pele do animal, a fim de notar se não há locais com vermelhidão ou inchaço.

Se esses sinais forem inexistentes ou pequenos, é provável que não seja nada grave. É importante continuar de olho nas próximas horas para ver se a situação piora. Mas, se a vermelhidão ou inchaço forem grandes ou estiverem aumentando, seu pet precisa de ajuda. Nesses casos, algumas dicas podem ajudar — pelo menos até vocês conseguirem chegar a uma emergência veterinária.

Se o animal estiver com dificuldades para respirar pode ser uma boa ideia pegá-lo no colo e manter o pescoço reto, pois assim o oxigênio entra com mais facilidade. O ato também pode ajudar o animal a se acalmar, o que é essencial para poder avaliar o quadro com calma.

Se a picada foi de algum inseto com ferrão, como uma abelha, você não deve tentar tirá-lo com uma pinça, agulha ou com as unhas, pois isso pode piorar o quadro e aumentar a quantidade de veneno inoculado. Caso tente tirar, use uma lâmina de barbear ou um bisturi, mas o melhor mesmo é que um profissional faça isso.

Caso seu animal seja uma fêmea e esteja prenha, a atenção deve ser redobrada e a visita ao veterinário é essencial, mesmo que tudo pareça bem. É raro, mas, dependendo da fase da gestação e da reação do animal, a picada pode afetar os fetos.