Ambiente integrado

Ambiente integrado: como criar uma sala de jantar e de estar no mesmo cômodo

É possível unir dois ambientes no mesmo cômodo com praticidade e conforto. Saiba como.

Seja porque a sua casa é pequena ou você tem um espaço bacana, mas deseja inovar, a opção por ambientes integrados tem se tornado cada vez mais comum nos lares brasileiros.

A ideia básica é propiciar que dois espaços com funções diferentes estejam, simultaneamente, juntos e separados em um único cômodo. O exemplo mais comum é a integração entre sala de estar e de jantar. Mas como fazer isso? É preciso necessariamente combinar os móveis?Hoje, você vai conhecer um pouco mais sobre ambientes integrados e como fazer com que a sala de jantar e de estar “convivam” em harmonia num mesmo espaço.

Nem só de combinação se faz a integração

Tem quem acredite que, para criar um ambiente integrado, é preciso combinar todos os móveis, usando a mesma textura, cor, material e formato. Contudo, esse é um dos erros mais comuns de quem decide criar esse tipo de espaço por conta própria.

O que deve acontecer num espaço integrado é uma harmonia entre os móveis, as cores e os objetos, como se eles conversassem entre si, mas sem a obrigação de serem iguais. Portanto, o primeiro ponto de uma decoração desse tipo é utilizar peças que gerem um efeito harmônico naquele espaço.

Se, por acaso, você não abre mão de combinações, o interessante é variá-las por meio das cores, criando uma diferenciação com tons complementares e parecidos. Também vale muito a pena ter um ponto de destaque em cada ambiente, e as cores seguem ajudando nesse sentido.

Mobília como divisor de ambientes

A forma mais simples de dividir um ambiente integrado é usar móveis. O sofá é o principal deles, sendo muito utilizado com esse objetivo por conta do tamanho, já que é uma peça com o comprimento um pouco maior.

Outras possibilidades são armários vazados, buffets, aparadores de sofá e racks. Além de tudo, essas peças ajudam na decoração do ambiente pela possibilidade de armazenarem alguns objetos, como louça, porta-retratos, vasos de plantas e outros.

Paredes personalizadas

Outra ideia bem interessante é ter uma parede personalizada, de modo a delimitar o espaço da sala de estar e de jantar. Uma pintura com uma cor mais forte, um papel de parede estampado ou uma parede com acabamento diferenciado, de pedra ou madeira, são algumas das possibilidades.

No entanto, lembre-se que essa “personalização” deve se limitar à parte da parede exatamente para conseguir o efeito de separação de ambientes.

Luminária sobre a mesa de jantar

Se tem um objeto que traz elegância e sofisticação ao espaço, esta é a luminária pendente. No nosso caso, ela será usada sobre a mesa de jantar, iluminando luxuosamente a sua sala.

A luminária também funciona como uma espécie de “demarcação” de ambientes, por isso deve ser usada em cômodos integrados. Para quem é apaixonado por esse objeto, vale investir em um modelo de pé para a sala de estar, sem erro.

Tapetes ajudam a definir espaços

Uma solução bem interessante, tanto para quem tem bastante espaço, quanto para quem não tem, é usar tapetes diferentes em cada tipo de sala. Por exemplo, você pode escolher um modelo étnico para a sala de jantar e um felpudo para a sala de estar. A ideia é que eles sejam diferentes mesmo.

Porém, se você tem apenas um tapete e não deseja investir em outra peça, a solução é deixá-lo em uma das salas. Se incluí-lo no espaço de jantar, prefira uma peça maior, que consiga cobrir toda a parte de baixo da mesa. Caso o coloque na sala de estar, os modelos maiores podem ficar debaixo do sofá, enquanto os menores, centralizados no meio.