Acne solar

Acne solar: o que é e como prevenir

Usar protetor solar é essencial, mas prefira os produtos sem óleo e adequados ao seu tipo de pele.

Quando os dias estão quentes e bonitos, todo mundo quer sol. No entanto, justamente por isso, precisamos redobrar os cuidados com a pele no verão para evitar o surgimento de problemas relacionados à exposição, como a acne solar.

Pode ser que você nunca tenha ouvido o termo em si, mas, provavelmente, já notou algum aumento de acne após passar muitas horas no sol. Se você é do tipo que passa qualquer tipo de protetor solar, as chances são maiores ainda, e neste texto explicaremos o porquê.
Quais são as causas do problema?A nossa pele é um órgão inteligente e faz o que pode para se proteger de qualquer situação que ela considere agressiva. Portanto, quando passamos muitas horas no sol, o organismo entende que precisa fazer algo e, em geral, reage fazendo a pele ficar mais grossa.

O problema é que essa “defesa”, que os dermatologistas chamam de “mecanismo de rebote”, deixa a pele mais espessa e dificulta a excreção do sebo produzido pelo organismo. Isso acontece não só no rosto, mas também nos braços, na região dos peitos e nas costas, locais onde esse tipo de acne também é bastante comum.

Como é possível que a sua pele já esteja produzindo mais sebo que o normal, as chances de que ela fique oleosa aumentam consideravelmente. E pele oleosa, todo mundo sabe: é fator de risco para o surgimento de acnes e outras inflamações.

Além disso, na praia ou na piscina, as pessoas costumam passar qualquer protetor solar — que, muitas vezes, é compartilhado com toda a família —, sem a atenção para qual é o produto mais indicado para o seu tipo de pele. Isso também pode aumentar a predisposição para o surgimento da acne.

Uma especificidade da acne solar é que, diferentemente da inflamação comum, ela não está relacionada aos seus hormônios e nem costuma vir acompanhada de cravos.

Como prevenir?

O melhor jeito de prevenir a acne solar é maneirar na exposição ao sol, especialmente nos períodos mais críticos, entre 10h e 16h. O outro é escolher um protetor solar à base de água, gel, creme ou sérum. O mais importante é ser sem óleo e de toque seco.

Pouca gente faz isso, mas o recomendado é consultar um dermatologista para que ele prescreva qual tipo de protetor solar cada pessoa deveria usar, tanto no dia a dia, quanto na hora da praia e da piscina.

Além do protetor solar, os acessórios que ajudam a nos proteger do sol, especialmente nas horas em que ele é mais forte, são indispensáveis. Quanto mais, melhor: chapéu, camiseta com proteção, guarda-sol, de preferência tudo junto.

Qual o melhor tratamento?

O tratamento da acne solar é parecido com o da acne comum. Para começar, é preciso fazer uma limpeza de pele com um sabonete específico para o seu tipo. Também é importante hidratar a derme para que ela entenda que está tudo bem e que pode maneirar na produção de sebo.

É importante lembrar que, se a pele estiver muito queimada, as substâncias adstringentes devem ser evitadas por alguns dias, pois podem deixá-la ainda mais sensível.

Tratamentos pós-sol também ajudaram a hidratar e a “acalmar” a pele, e podem trazer alívio para as coceiras causadas pela acne solar. Se o problema estiver incomodando muito, pode ser o caso de tomar antibióticos e outros medicamentos que dissolvem a queratina, fazendo a pele voltar a ficar fina.

Além disso, assim como com a acne comum, é preciso controlar a vontade de cutucar ou espremer a acne solar, pois isso só piora o problema. Em geral, com o tratamento correto, ela desaparece em poucos dias.