4 opções para investir em renda fixa e renda variável

Os mais diversos acontecimentos no dentro e fora do país movimentam o mercado financeiro e dessa forma muitas pessoas passam a ficar na dúvida, principalmente para aqueles que começaram a se interessar a pouco tempo no mundo dos investimentos, sobre em qual tipo de renda investir, na fixa ou na variável.

Tanto a renda fixa quanto a variável caminham lado a lado, porém suas proporções, variam de acordo com os objetivos e perfil do investidor, bem como a tolerância de riscos, vale ressaltar que o perfil pode alterar ao longo do tempo.

Renda fixa vs. Renda variável: como funcionam

A diferença entre a renda fixa e a renda variável é sempre uma dúvida constante entre investidores, mas a principal diferença está na previsibilidade do tipo de investimento. Ao contrário da renda variável, os ativos da renda fixa seguem determinados prazos no ato da aplicação e critérios de rentabilidade. 

A renda fixa possui ativos onde os riscos são muito menores que os apresentados pela renda variável, são aplicações onde é possível prever qual o ganho ao final do prazo da aplicação. Porem a renda fixa não significa ser uma renda estática ou que siga sempre o mesmo valor ou percentual mês a mês. A renda fixa tem como regra geral serem estáveis estando atrelados em determinados critérios, como a inflação oficial, juros da taxa básica, IPCA, Selic ou CDI. 

Por outro lado, a renda variável, não é previsível e oscila de acordo com os movimentos do mercado nacional e internacional, variando de acordo com os fatores políticos e econômicos, um dos critérios mais atrativos da renda variável, que tem a possibilidade da aplicação retornar lucros mais elevados que da renda fixa.

Opções para investir na renda fixa

Ao escolher qual melhor opção para investir na renda fixa é preciso comparar e avaliar a liquidez, rentabilidade e riscos dos títulos, tendo em mente qual o objetivo de estar investindo para definir o prazo mais adequado do investimento.

Certificado de Depósito Bancário – CDB

O banco emite títulos como forma de captar recursos para financiar suas atividades. Como acontece com as aplicações do tesouro direto, a liquidez e rentabilidade são pré-estabelecidas no ato do investimento. Geralmente a rentabilidade está atrelada ao indicador lastreado, o CDI, que é um pouco menor que a taxa Selic.

Títulos públicos

Periodicamente o governo federal emite títulos da dívida pública. Esses títulos são vendidos a investidores que negociam com a finalidade de receberem o dinheiro ao termino do prazo e taxa estabelecida. As taxas podem ser pré-definidas ou pós-fixadas. Os títulos públicos estão atrelados a inflação oficial, ao IPCA ou a taxa Selic.

Opções para investimentos na renda variável

Assim como na renda fixa, ao escolher uma opção para investir na renda variável é necessário comparar e avaliar a liquidez, rentabilidade e riscos das negociações.

Fundo de ações e Ações

Com as ações é possível comprar e ser dono de uma pequena parcela de uma empresa, as ações e os fundos de ações estão disponíveis para compra nas bolsas de valores ao redor do mundo. O investidor tem direito aos dividendos e ao lucro em caso de revenda da sua ação. 

Os fundos de ações são administrados por um gestor especializado, que aplicam os recursos investidos de acordo com analises realizadas sobre o cenário e as propostas de riscos. A Fibonacci trader é uma das ferramentas utilizadas para prever e avaliar as tendências do mercado financeiro.

Contratos por diferenças – CFDs

Os contratos por diferenças são um dos diversos derivados financeiros de renda variável, com esses contratos é possível negociar diversos instrumentos, desde criptomoedas e ações sem necessariamente possuí-los, mas se adquire um contrato no qual reflete as oscilações da cotação e o rendimento estará na diferença entre o que foi investido no contrato e o valor final deste.

opções para investir em renda fixa e renda variável