A regulação das criptomoedas é algo positivo?

Com o boom das criptomoedas como o Bitcoin nos últimos anos, não surpreende que elas tenham chamado a atenção de autoridades reguladoras do mundo todo. Isso é algo muito importante no espaço das criptomoedas, já que o Bitcoin é descentralizado por natureza. Agora que as pessoas podem comprar Bitcoin e entrar no mundo cripto com apenas alguns cliques, precisamos falar mais sobre isso. 

Os prós e contras da regulação da criptomoedas

A regulação das criptomoedas é um tema sensível e tem muita gente que não gosta de ideia. Para alguns, isso vai contra o propósito de ter uma moeda descentralizada em poder das pessoas. Já para outros, a regulação aumenta a percepção de segurança por saberem que estão negociando em um ambiente mais controlado. 

Para que você compreenda melhor os dois lados, vejamos os prós e contras da regulação das criptomoedas.

Vamos começar com a maior desvantagem da regulação. O principal motivo para a maioria das pessoas ser contra a regulação das criptomoedas é o problema da descentralização. Muita gente entra no mundo cripto principalmente porque aspectos como fornecimento, controle e regulação não estão nas mãos de nenhum governo. Assim que houver regulação, isso deve mudar, o que não agrada a muitos investidores.

Criptomoedas como o Bitcoin foram criadas para que as pessoas possam assumir o comando de suas próprias finanças, participar de transações antes inacessíveis a elas e atingir a liberdade financeira que sempre desejaram. Ainda que haja a possibilidade de que essa regulação não afete em nada esses aspectos, essa é a primeira coisa que vem à cabeça quando pensamos em situações regulatórias. 

Dito isso, vejamos algumas das vantagens que podem acabar com o medo dessa noção preconcebida de regulação de criptomoedas.

Esse tipo de regulação possui três vantagens principais, sendo a primeira delas — e provavelmente a mais importante — um ambiente de negociação mais seguro. A regulação das criptomoedas como o Bitcoin pode tornar o mercado muito mais seguro, acabar com a manipulação do mercado, proteger investidores e propiciar um ambiente geral mais protegido a todos. Isso faz uma enorme diferença para investidores, pois com as regulamentações certas, qualquer pessoa pode obter sua própria Bitcoin wallet segura e começar a negociar sem grandes preocupações. 

O outro benefício é mais estabilidade. Com orientações regulatórias, pessoas que negociam regularmente poderão aprender com mais facilidade. Além disso, um cenário mais regulado pode reduzir os efeitos das incertezas e da especulação, permitindo que os mercados mantenham o volume. 

Finalmente e não menos importante, haveria mais confiança. Com um ambiente de negociação mais seguro e estável, o Bitcoin poderia aumentar de valor ao longo do tempo, já que os preços seriam menos afetados por influências externas. 

Países que já possui regulamentações sobre criptomoedas

Cada país vai adotar diferentes regulamentações sobre criptomoedas, dependendo de como vê esse universo de modo geral. Para ter uma ideia de como as regulamentações podem afetar o mercado de criptomoedas, podemos considerar alguns dos países que já as implementaram e como isso está afetando as atividades de negociação. Seguem alguns exemplos:

Estados Unidos

Como os Estados Unidos adotam um sistema federal, cada estado regula criptomoedas de um modo diferente. Por exemplo, em 2016, o estado de Nova York adotou uma postura diante das criptomoedas e lançou uma estrutura de licenciamento chamada BitLicense. Isso possibilitou que empresas e exchanges lidassem com criptomoedas. Em 2018, o estado de Wyoming isentou desenvolvedores de criptomoedas da legislação de valores mobiliários, desde que cumpram determinados requisitos. Muitos estados como a Flórida seguiram o mesmo exemplo, enquanto outros ainda não adotaram nenhuma posição. 

El Salvador

Em 2021, El Salvador começou a aceitar o Bitcoin como moeda de curso legal no país. Nayib Bukele, o presidente do país, afirmou que isso pode reduzir a pobreza e levar a digitalização a mais cidadãos. 

China

A China era um dos países que mais apoiavam o Bitcoin, mas passou a reprimi-lo. Hoje, o gigante asiático proibiu todas as atividades de mineração e negociação na esperança de lançar sua própria criptomoeda no futuro. 

Como as regulamentações podem afetar o preço do Bitcoin

Se você se pergunta como a regulação das criptomoedas pode afetar seu preço, saiba que não está sozinho. Muita gente faz a mesma pergunta, e a resposta é um pouco complicada. 

Falando de forma geral, pode haver uma correlação entre regulamentações e o preço do Bitcoin. Por exemplo, se um país adotasse um olhar negativo sobre o Bitcoin e proibisse seu uso, isso poderia gerar uma queda no preço. Mas o mesmo vale para o caso oposto: se um país aceitasse o Bitcoin de braços abertos, seu preço poderia subir. 

Também poderíamos considerar de forma mais profunda como ações específicas de governos podem de fato afetar o preço. Por exemplo, eles podem regular o preço implementando regras de compra e venda. Podem também dificultar empresas de criptomoedas com regulamentações aumentando o custo de suas atividades. 

Mas pode ser difícil impor essas normas sobre uma criptomoeda como o Bitcoin, pois ele possui um livro-razão descentralizado que abrange vários países, ou seja, sua regulação exigiria um esforço multinacional de diversas economias. O que aumenta ainda mais essa dificuldade é que os países veem a questão de diferentes formas, como já mencionamos. 

A regulação não é inerentemente boa ou ruim

O importante a entender sobre a regulação das criptomoedas é que ela sempre vai ser diferente em cada país. Se considerar os exemplos apresentados, você vai ver que cada país regula as criptomoedas de um modo bem diferente: os Estados Unidos permitem que cada estado adote sua própria abordagem, El Salvador aceitou completamente o Bitcoin, e a China proibiu seu uso. Fundamentalmente, isso quer dizer que a regulação das criptomoedas não é uma coisa inerentemente boa ou ruim. Tudo depende de como cada país vê esse espaço. 

Antes de colocar o seu dinheiro em Bitcoin ou qualquer outra criptomoeda, leia bem sobre como o seu país vê esses ativos e se já existem regulamentações sobre esse mercado. Nesse caso, ler um pouco pode poupar muito do seu tempo e dinheiro. 

A regulação das criptomoedas é algo positivo