O que é Inteligência Emocional

A inteligência emocional se tornou uma pauta muito frequente em discussões do cotidiano. Isso porque existe uma vasta gama de “dores de cabeça” que um indivíduo pode evitar, apenas utilizando essa técnica.

Mas afinal, o que é inteligência emocional? Neste artigo iremos responder a essa pergunta de uma forma dinâmica, para que você esclareça todas as suas dúvidas a respeito do assunto.

Mas afinal, o que é inteligência emocional?

Para chegarmos a um conceito de forma totalmente clara sobre o que se trata a inteligência emocional, daremos um exemplo prático.

Vamos imaginar que ocorreu um desentendimento entre você e um colega de trabalho, onde esse mesmo colega te direcionou várias ofensas. Você entraria na discussão o ofendendo ainda mais, ou apenas levaria o caso para os seus superiores?

Se a sua resposta for entrar com tudo na discussão, sinto muito te informar, mas você não possui muita inteligência emocional, já que o assunto se trata de saber lidar bem com as suas emoções, em situações difíceis.

Ou seja, a inteligência emocional é um conceito psicológico usado para avaliar a capacidade do indivíduo de lidar com as suas emoções.

Como surgiu a inteligência emocional?

Para que você possa lidar bem com as suas emoções alcançando a inteligência emocional, os hemisférios direito e esquerdo do seu cérebro devem estar em equilíbrio.

Isso porque o hemisfério direito é responsável pelas atividades emocionais e o esquerdo fica com a parte racional, voltado para tarefas analíticas e lógicas.

Essa explicação está no estudo e pesquisa realizado pelo escritor, psicólogo e PhD, Daniel Goleman – responsável por popularizar a expressão inteligência emocional através do seu livro “Inteligência Emocional: A teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente”.

E embora Goleman não tenha definido o conceito academicamente, é comum encontrar o seu nome associado ao tema, já que ele foi considerado o pai da inteligência emocional.

Contudo, foram os pesquisadores Peter Salovey e John D. Mayer, de origem estadunidense, que fixaram a teoria por meio de artigo acadêmico, no ano de 1990.

Logo em seguida, no ano de 1920, o psicólogo Edward Thorndike, também norte-americano, assim como Daniel Goleman, definiu a inteligência emocional como a habilidade de administrar as emoções.

Desde então, vários nomes se envolveram nos estudos dessa pauta, colaborando com mais informações referentes ao tema.

Como desenvolver a minha inteligência emocional?

Existem 5 princípios que te auxiliarão a conquistar a sua inteligência emocional, para que você possa melhor lidar com os eventos da sua vida.

Então, leia atentamente cada um deles, para não perder nenhuma informação importante a respeito do assunto.

1° Observe e analise o seu próprio comportamento

A falta de inteligência emocional pode afetar diretamente o seu cotidiano e as suas relações com as outras pessoas. E aprender a lidar com os seus sentimentos é o primeiro passo para adquirir uma estabilidade.

Por essa razão, selecionamos alguns passos para você fazer sempre que se ver diante de uma situação emocionalmente complicada.

  • Observe quais são as reações da sua mente o do seu corpo diante de uma situação negativa;
  • Analise como você deve proceder após a chegada dos sentimentos. Ao invés de agir por impulso, tente avaliar todas as opções disponíveis.

Após o ocorrido, tente descobrir o gatilho que gerou todas aquelas sensações incômodas, fazendo você ter um comportamento inadequado naquele momento.

Caso não consiga chegar à raiz do problema de forma independente, procure um profissional para te ajudar nesse processo.

2° Domine suas emoções

A princípio, essa pode parecer uma dica muito difícil, pois no calor do momento é complicado dominar as emoções, visando ter uma reação lógica diante da situação. Contudo existem algumas técnicas simples e eficientes que te ajudarão nessa tarefa.

A principal delas é o controle da respiração. Antes de tomar qualquer atitude, foque na sua respiração, tentando deixá-la o mais normal possível. Inspire e expire profundamente para oxigenar o seu cérebro e relaxar.

Também é recomendado inserir a prática de meditações e atividades físicas como caminhadas no seu cotidiano.

3° Aprenda a lidar com as suas emoções negativas

Lidar com emoções negativas no dia a dia é algo inevitável, e como elas são as que mais nos afetam, é importante saber administrá-las de forma inteligente.

São exemplos de emoções negativas: raiva, medo e tristeza. E quando essas emoções aparecem, tendem a permanecer durante um longo tempo dentro de nós, dificultando nossa estabilidade.

Nesse sentido, aprenda a trabalhar essas emoções, analisando de onde elas veem e como podem ser tratadas de forma respeitosa. Afinal, é normal ter sentimentos negativos. Mas, quando eles passam a interferir no seu modo de vida, uma atitude deve ser tomada.

4° Evite ambientes que exercem muita pressão e estresse

Estar sob muita pressão e estresse pode dificultar a sua jornada em busca da sua inteligência emocional. Então, se afaste de tudo aquilo que possa te desestabilizar emocionalmente.

Foque nas suas atividades diárias de forma leve, fazendo o seu melhor possível naquele dia, sem se pressionar a ser uma pessoa extremamente produtiva e eficiente.

Afinal, não vale a pena viver em constante estresse, sendo que tal atitude, além de influenciar no seu emocional, também pode adoecer o seu corpo.

5° Aumente a sua autoconfiança

Uma pessoa autoconfiante dificilmente será atingida por comentários negativos de terceiros. Por esse motivo, saber o que deseja, o que tem a oferecer e traçar metas para o seu futuro, é uma excelente ideia.

Por exemplo, faça uma tabela com os seus pontos positivos e negativos, visando aplicar mais os seus pontos positivos e trabalhar os seus pontos negativos. Pois, acreditar no seu potencial te ajudará a enfrentar todos os seus obstáculos de uma forma mais equilibrada.

Procure ajuda profissional

Vale lembrar que todas as informações acima são dicas que podem te ajudar a melhorar a sua inteligência emocional de uma forma mais prática. Contudo, alguns casos são mais delicados que outros.

Então, se mesmo com as dicas acima você enfrentar uma imensa dificuldade em controlar as suas emoções, busque ajuda de um profissional adequado para te ajudar nessa tarefa.

O que é Inteligência Emocional