Coifa para laboratório, qual funcionalidade?

A coifa para laboratórios é um equipamento essencial, e que permitirá que gases, vapores e outros odores tóxicos sejam contidos e não prejudique a saúde de quem atua neste tipo de ambiente diariamente

É importante que se conte com este equipamento, pois como ele é responsável por eliminar estes gases e substâncias do ar, eles protegerão os que atuam em laboratórios, visto que algumas pesquisas e procedimentos realizados nesses locais acabam gerando contaminantes aéreos devido a manipulação de produtos químicos.

Portanto, a utilização da coifa é para impedir que haja a exalação dos produtos em questão, pois ela irá neutralizar para que eles não sejam prejudiciais à saúde das pessoas, limpando o ar e o ambiente de forma ampla, para impedir que as substâncias causem malefícios aos colaboradores.

Existem dois tipos de coifas que podem ser utilizadas nestes casos, em ambientes como laboratório, que são as de Volume Constante e a de Volume de Ar Variável. Apesar de possuírem propósitos semelhantes, devem ser escolhidas de acordo com a necessidade do ambiente.

Como funciona uma coifa para laboratório?

Existem vários modelos de coifas para laboratório dentro dos dois tipos distintos deste equipamento, pois elas devem variar de acordo com as necessidades do local em relação ao tamanho e demais atributos.

Os tamanhos das coifas usadas nestes locais, portanto, podem variar entre 2,5 a 3 metros, e são equipadas com itens como um faixa frontal móvel e um defletor interno. A depender do modelo em questão, a faixa pode ser movimentada tanto na vertical como na horizontal, ou então uma combinação destes dois aspectos.

O motivo pela qual a coifa é uma opção necessária de equipamento para o ambiente laboratorial é pelo fato de que ela fornece praticidade em sua ação, pois pode tanto ser fixada na parede como poderá ficar suspensa, optando por uma altura que não prejudique as operações e nem fique no caminho dos profissionais do laboratório.

Desta forma o ar do ambiente será puxado através das ranhuras e também dos defletores da coifa. Este fluxo pode ser ajustado de acordo com a necessidade do ambiente. É importante tomar cuidado com as passagens, para que elas não fiquem bloqueadas de alguma forma, afetando totalmente o processo de exaustão.

Tipos de coifa para laboratório

Como destacado, as coifas podem aparecer em duas formas para serem usadas em laboratórios: Volume Constante ou Volume de Ar Variável. A primeira atua puxando o ar pelo capô, e este processo com o nome desta sugestão é feito de forma constante.

 Já as de Ar Variável, atuam fornecendo uma possibilidade de que a intensidade e a velocidade de fluxo sejam ajustadas da forma como o ambiente necessita. Portanto, a escolha pode ser feita entre estes dois tipos de coifa, levando em consideração o ambiente e as operações realizadas nele.

Assim, para que a escolha da coifa ideal para o laboratório seja feita, é preciso considerar como ela será aplicada, e quais produtos químicos são usados no local para entender em que tipo de processo a coifa terá que atuar.

Para trabalhos com produtos menos tóxicos, as Coifas de Volume de Ar Variável podem ser as ideias. Portanto, é preciso levar em consideração todo o aspecto do local onde a coifa será empregada para esta decisão.

Coifa para laboratório, qual funcionalidade