5 dicas para ter uma cerca viva em casa

Encontrar o imóvel ideal junto à imobiliária é o sonho de muitas pessoas. Afinal, ter uma casa para chamar de sua é algo muito satisfatório, sendo possível personalizá-la de acordo com seus gostos e necessidades. Nesse sentido, a cerca viva é uma ótima maneira de contribuir com a decoração da área externa, ao mesmo tempo que promove privacidade aos espaços e segurança. Ela pode ser escolhida de acordo com a função ou necessidade da área, existindo diversas finalidades. No entanto, nem sempre é fácil escolher a ideal e manter sua saúde em dia. Então, pensando nisso, preparamos o post de hoje com 5 dicas para ter uma cerca viva em casa. Vamos lá?

1. Onde utilizar a cerca viva

A cerca viva possui diversas finalidades, como ornamental, quebra-vento, delimitação de espaços, criação de áreas sombreadas, etc. Portanto confira abaixo quais são os melhores lugares para utilizar esse elemento:

  • Delimitar uma área: Essa é a principal solução da cerca viva, principalmente para quem não quer bloquear a visão por completo. Aqui, pequenos arbustos mais espaçados conseguem criar uma integração excelente e na medida certa.
  • Paisagismo: Esse elemento também é excelente para criar caminhos e deixar o paisagismo tomar conta do espaço;
  • Esconder elementos: A cerca viva ainda é excelente para esconder elementos como a condensadora do ar condicionado ou motores da piscina e manter o visual do quintal bonito;
  • Decoração: Outra forma de utilizar a cerva viva é promovendo privacidade aos ambientes, principalmente para quem tem construções vizinhas. Aqui, é possível criar um tipo de barreira para bloquear a visão de qualquer pessoa que tente visualizar a parte de dentro de seu jardim;
  • Quebra-vento: Por fim, plantas maiores podem ser usadas como quebra-vento, pois impedem as rajadas de vento do espaço e ainda ajudam a filtrar e reduzir a poluição no ambiente, como eucalipto, pinus, flamboyant de jardim, etc.

2. Espécies e tipos de plantas

Existem diversos tipos de cercas vivas, sendo que o principal objetivo aqui é escolher aquela que mais atende suas necessidades em conjunto com as características do local, solo e região. Confira abaixo:

  • Amor agarradinho: Com flores brancas ou rosas, essa espécie se enlaça em treliças ou arames de cercas, formando uma divisória natural no espaço;
  • Primavera: Com forma volumosa e galhos longos, a primavera possui flores coloridas e perfeitas para dar vida ao seu quintal;
  • Buxinho: Muito tradicional, essa espécie pode ser podada e formar diferentes esculturas. Sua principal vantagem é a fácil manutenção, além da flexibilidade de se encaixar em qualquer espaço;
  • Camélia: Ela pode ser plantada tanto em árvores, como arbustos. A presenta das flores encanta, deixando o visual mais romântico e colorido.

3. Formato

Para quem quer ter uma cerca viva, deve-se ter em mente que além de decorar o espaço, ela também tem uma utilidade. Justamente por isso, o formato deve ser bem planejado e mantido com cuidado. Sendo assim, para não comprometer sua função, ela não pode ser nem muito alta nem muito baixa, ou cobrir entradas, saídas e passagens. Isso será definido no primeiro corte, também chamado de poda de formação, etapa que é realizada logo após o plantio. Além disso, manter a frequência das podas também é muito importante para que a cerca não perca seu formato com o passar do tempo.

4. Faça as podas regularmente

Como falamos no tópico anterior, a poda é um dos principais cuidados com a cerca viva. Afinal, além de servir para manter o formato, ela ainda contribui para analisar o crescimento e saúde das plantas. No entanto, ela deve ser feita de forma regular e não esporadicamente, a fim de evitar crescimento desordenado e perder algum detalhe importante.

Vale lembrar, contudo, que cada espécie tem o período de poda ideal, baseado na época em que mais cresce. Por isso, é importante planejar todo o processo com essa característica em mente.

5. Tenha profissionais ao seu lado

Por fim, mas não menos importante, conte com a ajuda de profissionais especializados para elaborar e realizar a manutenção de sua cerca viva. Isso porque, existem espécies para cada tipo de proposta, sendo que algumas crescem mais rápido, outras podem prejudicar o piso e a parede, além de não se adaptarem ao clima da região. Os profissionais, portanto, sabem exatamente o que irá se adequar ao seu espaço, necessidades e desejos, garantindo melhor aproveitamento do espaço, economia e funcionalidade. Contudo, caso queira inserir esse elemento em algum ambiente por conta própria, é importante pesquisar sobre cada espécie, considerando características, tamanhos e tempo de crescimento.

Então, agora que você sabe o que é preciso para ter uma cerca viva em casa, já pode colocar em prática nossas dicas. Lembre-se que é importante ter um bom planejamento, assim como profissionais especializados ao seu lado. Dessa forma, você garante a escolha certa das espécies de acordo com sua região, finalidade e necessidades, evitando dores de cabeça e problemas desnecessários.

dicas para ter uma cerca viva em casa