A Política de Entrada de Meios de Comunicação Social é Detrimental para as Crianças

Entrada de Meios de Comunicação Social é Detrimental para as Crianças
Entrada de Meios de Comunicação Social é Detrimental para as Crianças

De acordo com um relatório recente, tornou-se mais fácil do que nunca para as crianças o acesso às mídias sociais. Oitenta e nove por cento das crianças de três a quatro anos usam plataformas de compartilhamento de vídeo. É vital identificar e restringir o acesso de seu filho ao conteúdo das mídias sociais e até mesmo monitorar sua atividade.

A Pandemia das Mídias Sociais

O relatório da autoridade de comunicação do Reino Unido Ofcom descobriu que a grande maioria das crianças menores de 13 anos tinha seu perfil em pelo menos um aplicativo ou site de mídia social. 33% dos pais de crianças de 5 a 7 anos disseram que seus filhos tinham um perfil na mídia social, e 60% de crianças de 8 a 11 anos disseram que tinham feito uma conta. E a maioria das crianças acessou as mídias sociais através de seus telefones ou tablet.

A maioria dos sites de mídia social não permite crianças menores de 13 anos em suas plataformas, mas é uma brisa para contornar essas restrições de idade. Elas só precisam entrar numa idade falsa durante o processo de registro, e não há nenhum método para confirmar sua idade real. O mesmo se aplica a outros sites também, tais como sites com conteúdo adulto e que estão em torno do bloco da Internet há mais tempo do que as mídias sociais.

O TikTok e o YouTube parecem ser os maiores infratores desta lista. Cerca de 89% das crianças assistiram a vídeos do YouTube e 16% das crianças de três a quatro anos de idade assistiram a vídeos do TikTok. Mas TikTok era a plataforma de mídia social preferida para postar conteúdo original. O TikTok é particularmente prejudicial, pois há muitos vídeos de acrobacias perigosas postados no site que inspiram as crianças a participar desses desafios e a postar vídeos eles mesmos. Basta olhar para o desafio das caixas de leite, por exemplo. Os participantes são encarregados de subir uma pirâmide feita de caixas de leite vazias e depois descer de volta para baixo. É muito mais difícil do que parece, pois as caixas de leite são extremamente desequilibradas e caem facilmente causando lesões. Mas, além dos riscos físicos, as mídias sociais representam sérias ameaças ao desenvolvimento mental de uma criança.

https://youtube.com/watch?v=VENY5FA93xI

Consequências do Uso Excessivo das Mídias Sociais

O uso das mídias sociais pode ter conseqüências tanto positivas quanto negativas para os indivíduos, particularmente para as crianças. Está provado que o uso da mídia social entre adolescentes é vital para o apoio emocional, a construção da comunidade e a auto-expressão, mas também pode ter conseqüências prejudiciais para a saúde mental e o bem-estar. Além disso, é indiscutivelmente uma forma conveniente de comunicação, especialmente com amigos que vivem em diferentes partes do globo.

Mas o vício das mídias sociais e seus efeitos sobre as crianças menores de 12 anos, esclarece os perigos potenciais associados ao uso pesado das mídias sociais. 

– Impacto na Saúde Mental

Vários estudos demonstraram que os efeitos variam desde o aumento do tempo online, mudanças de comportamento, pressão dos colegas e sobrecarga sensorial, até repercussões cognitivas e emocionais mais substanciais como questões de foco, estresse e ansiedade.

Foi revelado que a saúde mental tanto de meninos como de meninas se deteriora aos 14 anos de idade, mas que a saúde mental das mulheres se deteriora mais rapidamente do que a dos meninos. Uma em cada três meninas está insatisfeita com sua aparência aos 14 anos, em comparação com uma em cada sete, no final da escola primária. Uma provável doença mental afeta atualmente um em cada seis jovens, a partir de um em cada nove em 2017. E desde que o Instagram se tornou nada mais que um concurso de popularidade, é difícil evitar sentimentos de baixa estima e imagem corporal negativa à distância.

Os meninos do grupo inferior na escola primária tinham uma auto-estima inferior à de seus colegas de 14 anos. De acordo com a pesquisa, a felicidade de ambos os sexos se deteriorou durante a adolescência, com as mulheres relatando uma redução significativa. As meninas eram mais infelizes e desesperadas, embora o uso extensivo das mídias sociais afetasse a saúde mental, independentemente de seu estado mental.

– Notícias falsas

Depois há a questão das notícias falsas, especialmente sobre a Covid19. A desinformação na Internet ou notícias falsas está agora afetando popularmente as jovens crianças impressionáveis. Crianças de faixas etárias mais jovens não têm as habilidades e o julgamento necessários para discernir a verdade a partir de mentiras. E isso prejudica suas emoções e sua visão geral do mundo. Pesquisas demonstraram que notícias falsas tornam as crianças mais ansiosas, diminuem a auto-estima e lhes dão uma visão negativa do mundo. 

– Cyberbullying

Cyberbullying e cyberstalking, como notícias falsas, são dois fenômenos que são bastante populares nas mídias sociais. Cyberstalking é descrito como o uso da Internet e de outras tecnologias para assediar ou perseguir outra pessoa.

A maioria das conversas não terminam mesmo que o destinatário expresse seu descontentamento ou suplique ao perpetrador que pare. O material destinado ao alvo é freqüentemente inapropriado e, em algumas situações, angustiante, tornando a pessoa temerosa, amedrontada, ansiosa e preocupada.

O que precisa ser feito?

Mais escolas precisam educar as crianças e os pais sobre os perigos das mídias sociais. O foco principal deve ser o quão perturbador pode ser para o desenvolvimento das crianças pequenas e o quão negativamente afeta sua saúde mental. Os professores também devem treinar as crianças na alfabetização on-line para melhor absorver informações e discernir fatos a partir de mentiras. Eles também devem ensinar as crianças a se protegerem contra cyberbullies, o que envolve medidas acionáveis, tais como relatórios e bloqueios ativos.

As empresas de tecnologia precisam iniciar conversas e intervir. Elas devem implementar algoritmos de verificação de idade que possam utilizar diferentes técnicas para verificar a idade de seus usuários, como por exemplo, através de uma carteira de motorista ou número de seguridade social. 

Mas nem tudo é culpa dos pais. As crianças são agora mais adeptas da tecnologia do que a maioria dos pais e utilizam a tecnologia muito mais efetivamente do que a maioria dos adultos. Eles podem fazer contas na mídia social sem dar uma dica a seus pais. Portanto, os pais precisam monitorar seus filhos mais perto do que nunca. Mas isso não é possível com os métodos tradicionais de abrir seu histórico de navegação, pois as crianças são espertas o suficiente para apagá-lo. Eles precisam de uma solução mais sutil. Um aplicativo de controle parental para telefones celulares.

Um aplicativo de controle dos pais para telefones celulares bloqueia websites, estabelece limites de tempo e monitora remotamente a atividade das mídias sociais. Um aplicativo de monitoramento de telefones celulares pode ficar de olho nas contas de mídia social das crianças, mantendo-as seguras. O aplicativo garante que elas tenham a idade adequada para usar essa plataforma.

Uma vez que um aplicativo de monitoramento por telefone celular pode rastrear todas as atividades de mídia social, os pais poderão monitorar as atividades de seus filhos e limitar seu tempo para mitigar o impacto da mídia social. É uma solução confiável para pais que não têm tempo livre ou não querem se aproximar diretamente de seus filhos.

Há muitos aplicativos de monitoramento para escolher, mas o XNSPY continua sendo minha escolha para 2022, pois a última atualização do APK acrescenta recursos muito necessários e correções de bugs para melhorar seu algoritmo de monitoramento das mídias sociais. A nova atualização adiciona integração mais rápida com aplicativos de mídia social como Instagram, Facebook, e Snapchat. Também permite o recebimento mais rápido de mensagens de aplicativos de mensagens instantâneas como o WhatsApp, Signal, Facebook Messenger e Telegram. O aplicativo agora pode pegar telas maiores para que os pais possam ver a imagem maior, literalmente! Além disso, o XNSPY não armazena dados por mais de trinta dias em seus servidores, de modo que não há maneira de que terceiros possam colocá-los em suas mãos. Descubra como o XNSPY está ajudando os pais em todo o mundo a manter seus filhos seguros.

Assim, manter as crianças seguras nas mídias sociais requer um esforço colaborativo dos pais, professores e empresas de tecnologia. A experiência das crianças na mídia social pode melhorar se essas entidades compartilharem suas idéias em uma discussão aberta.

Meios de Comunicação para as Crianças