Preço do café: quais fatores contribuem para sua alta?

O preço do café, de acordo com o IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, teve uma alta de cerca de 34%. Dentre os fatores responsáveis pelo aumento do preço da segunda bebida mais consumida no Brasil, está a desvalorização da moeda brasileira, o Real.

Isso faz com que os produtos brasileiros fiquem mais baratos, tornando o processo de importação mais vantajoso para os países estrangeiros. Outro aspecto determinante para a elevação dos preços dos produtos produzidos no país, foi a seca.

Consequentemente, devido à crise hídrica gerada pelo longo período de escassez de água, houve um aumento significativo na produção dos grãos, entre eles o café. Veja mais informações no artigo a seguir.  Confira!

O preço do café vai continuar subindo em 2022?

Considerada a menor safra da história nacional, devido principalmente ao longo período de estiagem, é possível dizer que 2022 ainda está cercado de incertezas. Embora a produção de café dependa diretamente das condições climáticas, o Conselho Nacional do Café assegura que o mercado interno possui estoque suficiente para exportação.

Espera-se que com o fim do período de chuvas, que acontece no final de março, seja possível fazer uma estimativa de como será a colheita do café.Para entender melhor sobre as variações do preço do café, é fundamental entender o longo caminho que percorre até chegar à sua mesa.

Além das oscilações do clima e da desvalorização do Real que já foram citados, outros aspectos podem ser considerados para o aumento do valor do café, como:

  • O aumento dos preços dos insumos;
  • A continuação da pandemia.

Margem da indústria

Mesmo que o valor do grão de café tenha ficado 82% mais caro entre dezembro de 2020 e julho de 2021, os preços expostos nas prateleiras foi de cerca de 15,9% no mesmo período.

Ou seja, uma porcentagem muito menor que os 57% de aumento de produtos básicos como leite, feijão, óleo de soja e arroz.

Nesse sentido, os dados fornecidos pela ABIC – Associação Brasileira da Indústria de Café, comprovam que este é o pior cenário das margens das indústrias de café.

De tal forma que fica praticamente inviável deixar de repassar ao consumidor final os reajustes nos preços, já que os insumos continuam supervalorizados.

Assim sendo, para que o consumidor continue tendo acesso a um café de qualidade, é preciso que compreenda os reajustes pelos quais o produto tem apresentado nas prateleiras.

Portanto, diante desta alta de preços que tem acontecido, é preciso que as pessoas desconfiem das marcas de café que continuam com preços muito abaixo do mercado.

Produção e abastecimento

Até 2020 a produção de café passou por uma boa fase, porém, já no primeiro trimestre de 2021, a safra começou a ser comprometida devido ao longo período de seca.

Vale destacar ainda que depois de 27 anos, o Brasil registrou no ano passado uma geada intensa o bastante para comprometer o tamanho da próxima safra.

Em outras palavras, como a oferta de café no mercado pode ser afetada, os preços podem passar por constantes movimentações, atingindo valores jamais vistos.

Consumo

Você pode estar pensando que devido à alta comprovada do preço do café, o brasileiro tenha diminuído o consumo dessa bebida, ou substituído por outra, como o chá.

No entanto, essas hipóteses podem ser descartadas, pois, o Brasil continua na 2ª posição de maior consumidor de café do mundo, mesmo neste cenário de incertezas.

De fato, o impacto econômico provocado pela alta do café, tem sido um assunto recorrente entre os apreciadores da bebida.

Contudo, por ser considerado um companheiro indispensável, seja nos momentos de alegria, confraternização ou mesmo no enfrentamento de crises, o consumo do café segue seu ritmo normal.

Lembrando ainda, que o país conta com os mais variados tipos de café, desde o tradicional coado no coador de pano. Como também os grãos selecionados e as cápsulas de café que são utilizadas em máquinas de café expresso.

Curiosidades sobre o café

  • O café é considerado a segunda bebida mais consumida no mundo, só perde para a água;
  • Nos últimos 150 anos, o Brasil é considerado o maior produtor de café do mundo;
  • 45% do consumo nacional de café está concentrado no Sudeste;
  • Com mais de 12 kg per capita ao ano, a Finlândia é o maior consumidor de café do mundo;
  • O café é o segundo produto mais comercializado no mundo, ficando atrás apenas do petróleo bruto;
  • ⅓ do café produzido no mundo, é responsabilidade do Brasil.

Conclusão

Não há dúvidas que o preço do café nos últimos meses tem impactado de maneira expressiva a economia brasileira.

Ainda assim, é possível identificar um crescimento significativo no consumo da bebida queridinha dos brasileiros.

Certamente, o café tradicional ainda é a principal escolha nos lares brasileiros, mas, tem sido cada vez maior a procura pela linha premium.

Para se ter uma ideia, cerca de 5% a 10% do consumo total de café no Brasil, é referente ao segmento premium.

Sendo assim, se você faz parte de boa parte da população, que não abre mão de qualidade e exclusividade, precisa conhecer a linha de produtos do Café America.

Preço do café