cinetose

Cinetose: enjoo ao viajar de carro ou ônibus

Já ouviu falar em cinetose? Você é daquelas pessoas que sempre sentem náuseas e passam mal ao viajar? Veja qual é a causa desse problema e como fazer para amenizar os sintomas

Existem muitas maneiras de viajar. Independentemente de qual seja a sua favorita, é fácil reconhecer que qualquer viagem precisa de um mínimo de preparação.

Uma vez escolhida a data de viagem e o destino, é preciso pesquisar minimamente possíveis passeios para se fazer e as condições de cada um deles.

Além disso, outro preparativo básico para quem viaja é levar um kit de primeiros socorros e alguns medicamentos básicos para dores de cabeça e enjoos. Quem nunca sentiu aquele mal-estar ao percorrer uma serra íngreme até o litoral ou uma região com mais curvas?

Essa situação é super comum e tem até nome: cinetose. Por isso, é preciso ter atenção ao selecionar as comidas para viagem, que devem ser leves e gostosas para a hora em que a fome bater. Saiba mais sobre este fenômeno, suas causas e o que é possível fazer para reduzir o mal-estar.

O que é cinetose

Cinetose é a nomenclatura científica que se refere à incompatibilidade entre o movimento que se enxerga e a sensação percebida pelos órgãos localizados na área interna do ouvido, que são responsáveis pelo equilíbrio corporal.

Para que o corpo se oriente, é preciso que o sistema nervoso central combine  informações transmitidas pelo tato, pela visão e pelo labirinto (orelha interna). A cinetose geralmente ocorre quando há um conflito entre estas informações passadas.

Além de viagens, outras situações comuns em que a cinetose pode ocorrer com mais intensidade são a leitura em movimento e até mesmo assistir a um filme.

Sintomas

Alguns dos efeitos mais comuns deste problema de saúde são náusea intensa, salivação excessiva, desconforto físico e dores de cabeça ou tontura que podem terminar em vômitos.

Além disso, também é comum ter palidez, inquietação, suor frio no rosto e bocejos. Quando a cinetose se manifesta de forma mais grave, ela pode causar desequilíbrios corporais, desidratação e até queda da pressão arterial.

O que fazer

Se você é daqueles que costuma ter enjoos e mal-estar no ônibus de viagem, existem alguns cuidados básicos para te ajudar a amenizá-lo.

O primeiro deles é levar alimentos leves para comer durante a viagem: pão integral de forma com queijo cottage, salada de frutas, água e mix de oleaginosas são algumas ótimas opções.

Além disso, é recomendado não ler ou mexer no celular enquanto o ônibus estiver em movimento, pois isso favorece a incompatibilidade entre as informações captadas pela visão, tato e labirinto. 

Sempre que possível, fique nos bancos da frente do veículo. Também não é recomendado consumir bebida alcoólica ou fumar logo antes da viagem ou durante o trajeto.

Um jeito simples de ter alívio dos sintomas é abrir um pouco a janela e inspirar um pouco de ar fresco. Também é bom evitar cheiros fortes.

Tratamento

Se os sintomas se apresentarem de forma intensa e recorrente, é recomendado buscar ajuda médica, especialmente de otorrinolaringologistas, para verificar se existem outras causas associadas. 

Essa especialidade médica analisa se existe algum nível de comprometimento do sistema vestibular periférico (de nervo vestibular ou do labirinto) ou central (de núcleos ou vias no sistema nervoso central).

Se algum problema for diagnosticado, é necessário tratar a causa, que pode ser psiquiátrica, vestibular ou neurológica.

O mais comum é realizar exercícios de reabilitação vestibular para recuperar o mecanismo de habituação. A ideia é que tais exercícios sejam feitos durante diferentes períodos ao longo da evolução do caso.

Para os casos mais graves são recomendados diversos medicamentos, como supressores vestibulares, antieméticos e gastrocinéticos, que contribuem para prevenir ou eliminar sintomas da cinetose.

A resolução ou melhoria da condição pode ser temporária e voltar a demandar novos tratamentos periódicos ou até permanentes.