Insurtechs

Insurtechs: as empresas que estão revolucionando o mercado de seguros

As startups estão revolucionando em diversos segmentos. As insurtechs são empresas que buscam personalizar os produtos do mercado de seguros, atuando de uma forma semelhante a um fintech, que são startups do mercado financeiro. 

Se preocupar com seguros é importante em diversos sentidos, desde o seguro de vida, passando pelo seguro residencial até a previdência Porto Seguro e de outras empresas. Afinal, é fundamental pensar no presente e no futuro. 

A ideia das insurtechs é desburocratizar o segmento de seguros, oferecendo os serviços de forma simplificada e a um custo consideravelmente menor. Isso traz ao mercado modelos inovadores de seguros com planos sob demanda para atingir diferentes tipos de consumidores. 

O que são insurtechs? 

As insurtechs são startups voltadas ao mercado de seguros. O termo “insurtech” surge da junção em inglês das palavras insurance (seguro) e technology (tecnologia). Para se destacar no mercado, as insurtechs fogem do modelo convencional das seguradoras, sempre apostando na inovação. 

Quem contrata ou já contratou algum seguro, sabe que este é um setor cheio de burocracias e uma das principais formas de agradar os consumidores é descomplicar os processos. Em um mundo que vive a era digital, não há mais espaço para uma pilha de documentos, tudo precisa ser digitalizado, simplificado para que se torne fácil de ser contratado. 

Como as insurtechs funcionam? 

Basicamente, as insurtechs buscam intermediar a relação entre seguradoras e consumidores por meio da tecnologia. Isso é possível por meio de ferramentas de inteligência artificial, machine learning e blockchain. 

As startups do setor utilizam as plataformas digitais de uma forma simples, com uma interface intuitiva para chamar a atenção e serem entendidas até por pessoas leigas no assunto. Fora a intermediação da contratação do seguro, as insurtechs também oferecem serviços agregados para otimizar a experiência do cliente. 

Focada na desburocratização dos processos, as insurtechs oferecem serviços agregados para otimizar a experiência do cliente. A ideia é trazer praticidade, agilidade, tornando a contratação de seguros de diversos tipos fáceis para todos. 

Qual é o impacto das insurtechs no mercado de seguros? 

As insurtechs se destacam pela flexibilidade, o consumidor tem autonomia para escolher e controlar os serviços contratados. Em vez de um consumidor contratar um corretor para que o profissional faça a ponte com as seguradoras, basta entrar na plataforma ou aplicativo da startup, fazer o cadastro, escolher os serviços, contratar e receber as apólices digitalmente. 

Dessa forma, as empresas mudam por completo o modelo convencional das seguradoras, oferecendo processos digitalizados e sendo um “intermediário invisível” entre consumidores e seguradoras. Assim, ambos os lados ganham. 

E por conta dessa digitalização e desburocratização dos processos, as seguradoras passaram a oferecer produtos personalizados e um atendimento bastante humanizado. As insurtechs aderem à inteligência de dados, facilitando que as seguradoras coletem, armazenem e comparem os dados e a atividade dos clientes. 

De certa forma, as insurtechs também são responsáveis pela rápida adaptação das seguradoras a esta nova realidade. Corretores e seguradoras precisam se reinventar rapidamente para não perderem espaço no mercado. 

Quais são os principais benefícios da insurtechs para o mercado de seguros? 

Falamos um pouco sobre o conceito e o funcionamento das insurtechs no mercado e confira abaixo quais são os principais benefícios dessas startups para o segmento:

Personalização dos produtos 

As insurtechs trouxeram uma autonomia para que os consumidores possam personalizar os seus planos de seguros. Antes dessas empresas aparecerem no mercado, todos os contratos de seguro eram padronizados, o que fazia com que os consumidores tivessem de aceitar recursos que eles não utilizam. 

Atualmente, as pessoas podem personalizar os seus planos de seguro, em que os consumidores podem escolher quais os recursos entrarão no contrato, de acordo com as suas necessidades e o seu orçamento. 

Desburocratização dos processos 

O principal foco das insurtechs é a desburocratização dos processos. Nesse ponto, as startups oferecem contratos simplificados e digitais, o que elimina a necessidade de documentos físicos. Também facilitam uma contratação rápida, agilizando todos os processos para que uma pessoa consiga solicitar, ter seu perfil analisado e contratar o seguro em poucos minutos. 

Flexibilização dos preços 

As contratações de seguros pelas insurtechs torna o processo bastante flexível. Isso faz com que o valor seja consideravelmente menor do que nos contratos de seguradoras convencionais. Por conta da personalização dos pacotes, os consumidores podem formatar um seguro que atende a todas as suas necessidades e se encaixa dentro do seu orçamento. 

As tendências é que o mercado de seguros deve ser inundado por novas insurtechs, sendo um modelo que se torne o preferencial dos consumidores, da mesma forma que acontece com as fintechs, por exemplo. 

O formato das empresas deve continuar apostando em inteligência artificial, digitalização e no formato pay per use, que permite que o consumidor só pague pelos recursos que ele utiliza, sem um preço fixo de assinatura.