hard skills

Hard Skills: você sabe o que é isso?

Na seleção de um novo colaborador, o RH e a empresa analisam as características técnicas e pessoais, levando em conta o perfil do profissional para a vaga. Descubra agora o que são Hard Skills e como elas se diferenciam das Soft Skills.

Na hora de avaliar um candidato, os recrutadores utilizam diversos termos para separar as aptidões de cada profissional de forma mais assertiva. 

E dois dos termos mais usados são o Soft Skills e o Hard Skills, o primeiro sendo as características comportamentais e o último características técnicas, que podem facilmente serem aprendidas e ensinadas.

Diversas empresas levam em conta essas habilidades na hora de contratar, sendo fundamental que o candidato possua boa desenvoltura nelas. As Hard Skills, por serem mais técnicas, podem variar de acordo com o segmento da empresa. 

Às vezes, por mais que o candidato não se saia tão bem nas Hard Skills, ele pode ser contratado, sendo auxiliado pelos Recursos Humanos da empresa a melhorar a habilidade em questão. Agora, caso não tenha as Softs Skills, a contratação será improvável. Descubra abaixo porque!

O que são Hard Skills?

Como dito antes, as Hard Skills são as habilidades técnicas que um candidato apresenta, como conhecimento de idiomas, cursos, graduações, habilidades ligadas à informática, entre outras. 

As Hards Skills, geralmente, podem ser provadas por meio de um diploma, certificados de qualificações ou provas teóricas e práticas aplicadas durante a seleção.

Normalmente, as Hard Skills são apresentadas no currículo do profissional e muitas vezes são consideradas como um diferencial para a contratação. E, dependendo da vaga a qual se concorre, ter boas Hard Skills pode ser um diferencial. 

E as soft skills?

Essas habilidades estão mais relacionadas a características pessoais, como proatividade, comunicação, liderança. E, são mais difíceis de serem mensuradas e comprovadas. Por isso, dificilmente elas se encontram escritas no currículo. Muitos recrutadores utilizam dinâmicas em grupos, conversas e entrevistas para identificar quais Soft Skills cada profissional apresenta. 

Quais são as habilidades mais procuradas?

Como comentado antes, as Hard e Soft Skills necessárias podem variar de vaga para vaga, como por exemplo, numa vaga de gestão, espera-se que o profissional tenha uma boa comunicação, desenvolvimento do trabalho em grupo, além do domínio do setor. 

Já nas vagas de analistas de dados, espera-se uma boa organização, pensamento analítico e uma boa desenvoltura em planilhas do Excel. 

Segundo o site Aiesec, uma organização internacional que incentiva a multiculturalidade e desenvolvimento de liderança nos jovens, algumas habilidades são as mais valorizadas na entrevista de emprego. Por exemplo no Hard Skill:

  • Idiomas, como o inglês e o espanhol;
  • Conhecimento do pacote Office, como Word, Excel e Powerpoint;
  • Raciocínio Analítico.

Já o site Gupy, uma plataforma que anuncia vagas de emprego, as Soft Skills mais buscadas nos profissionais são:

  • Comunicação;
  • Proatividade;
  • Facilidade de resolver conflitos;
  • Lidar bem com prazos e pressão;
  • Liderança.

É possível desenvolver essas habilidades?

Muitas pessoas se perguntam se é possível desenvolver as Hard e Soft Skills, e a resposta é sim. 

Para desenvolver as habilidades mais técnicas, como idiomas e conhecimentos da área, recomenda-se fazer cursos, participar de workshops e treinamentos. 

Na internet, por exemplo, há diversos cursos (de línguas e assuntos técnicos) disponíveis de forma totalmente gratuita.  

O mesmo acontece com as Soft Skills, podendo ser trabalhadas essas habilidades em cursos de autoconhecimento, terapia, coaching, meditação e planejamento. 

Como a empresa pode ajudar?

Tanto no desenvolvimento da Hard quanto das Soft Skills, a empresa pode auxiliar o profissional de diversas maneiras. 

Por exemplo, incentivando cursos e aperfeiçoamentos. Podendo inclusive adotar o incentivo à educação como um dos benefícios disponibilizados pela organização e incentivando os funcionários a se aprimorarem.

No incentivo a educação, a empresa paga uma mensalidade ao colaborador para ele investir em sua capacitação, outras empresas preferem comprar cursos e disponibilizar. 

A empresa também pode criar parcerias com cursos técnicos, de graduação ou de pós-graduação, onde os funcionários são beneficiados com descontos na matrícula e mensalidade. 

Além disso, é fundamental que a empresa disponibilize tutoriais básicos sobre as atividades que precisam ser executadas. 

Papel do RH no desenvolvimento das Soft Skills

Para o desenvolvimento das Soft Skills a empresa também pode auxiliar para o desenvolvimento do profissional junto com o setor de Recursos Humanos, conhecido como RH, planejando e executando treinamentos de integração. 

Outra opção é workshops onde é explicado os valores da empresa e as condutas e perfis profissionais que são desejados. 

O RH pode ofertar palestras educativas sobre as ações comportamentais e programas de desenvolvimento pessoal. Além disso, é necessário deixar claro para o funcionário o que espera que ele desenvolva, por meio de um plano de carreira. 

Por fim, pode ser necessário planos individuais, voltadas para as expectativas em cima de cada colaborador e as dificuldades do mesmo. Nesses planos de aperfeiçoamento pode-se incluir a terapia, com psicólogos, auxiliando assim na resolução de problemas internos. 

Qual o impacto empresarial?

As Hard e Soft Skills impactam o ambiente de trabalho, sendo necessário que a empresa procure talentos com as habilidades desejadas ou incentive o aperfeiçoamento do colaborador pode auxiliar a empresa num bom clima organizacional.

O clima organizacional significa a forma como os colaboradores enxergam a empresa, podendo ser avaliado: as condições de trabalho, as relações entre colegas, a estrutura, o posicionamento dos gestores. 

Ou seja, para ter um clima organizacional bom, é preciso que haja um bom ambiente de trabalho. 

Para isso acontecer, na hora da contratação é necessário buscar perfis que mesclem o talento técnico com as habilidades pessoais, criando assim um clima amigável dentro da empresa. 

Pois, por mais que o candidato seja expert no domínio técnico, ele precisa apresentar uma comunicação clara e ter um bom relacionamento com os colegas, evitando assim desentendimentos.

Nos processos seletivos avalia-se tanto as capacidades técnicas, conhecidas como Hard Skills, quanto as habilidades pessoais (Soft Skills) dos entrevistados. 

Essas habilidades podem variar entre cada setor, mas algumas são indispensáveis para o sucesso do profissional. Nas Hards Skills, a fluência em outro idioma e o conhecimento do Pacote Office, são fundamentais. 

Nas habilidades pessoais espera-se uma boa comunicação, proatividade e a capacidade de se trabalhar em equipe. 

E caso o profissional escolhido para a vaga não possua alguma dessas características, a empresa pode auxiliá-lo, por meio de cursos, workshops e planos individuais. Nesse processo é fundamental o apoio do RH.