Escolha o brinquedo certo para o seu bebê

Escolha o brinquedo certo para o seu bebê sem precisar se desesperar

Os brinquedos para bebês possuem o dom de atrair os nossos olhares. 

E não é para menos, normalmente são extremamente bonitos visualmente, coloridos e, muitas vezes, possuem sons ou brilhos diferentes. 

Sendo tão atrativos assim, logo pensamos, todo bebê adoraria ganhar um desses, vou comprar!

No entanto, é preciso ficar atento em mais do que isso. Brinquedos são mais do que apenas objetos de distração para os pequenos, eles, na verdade, possuem uma importância singular na vida das crianças.

Se bem escolhidos para a fase certa de seu bebê, podem ajudar no desenvolvimento de habilidades infantis que envolvem linguagem, capacidades motoras, cognitivas e sociais.

Ao brincar o bebê descobre como criar relações afetivas consigo e com aqueles que o rodeiam. 

Em seus primeiros meses de existência no mundo, o aprendizado de um bebê é bem rápido. Surgem os chamados “saltos de desenvolvimento”, onde a criança aprende coisas novas e se prepara para novas fases de sua vida. Justamente por isso, os estímulos externos que possam agregar capacidades sensoriais a esse período são muito importantes.

Estamos falando de um período em que provavelmente todo e qualquer brinquedo será levado à boca (algo completamente natural para a fase em que são bebês) e, por isso, devemos escolher objetos que tenham texturas novas. Podem até conter estímulos sonoros, mas, acima de tudo, precisam ser seguros. Evite ao máximo os que tenham peças pequenas que podem se soltar.

Nesse começo o que realmente vale é a proposta da brincadeira e não apenas o brinquedo, logo, deixe que seu bebê explore bastante aquilo que ganhou.

No momento em que estiver brincando com ele use e abuse da interação: cante bastante, narre tudo que está acontecendo na brincadeira, diga o nome dos objetos, dê a ele as referências do que está acontecendo. Pode parecer, em um primeiro momento, que ele não está entendendo nada. Mas ele está aprendendo e se desenvolvendo com a sua ajuda.

Fique atento também aos sinais de cansaço. Eles não vão te avisar que não querem mais brincar, mas darão pequenos alertas. Pare antes de se tornar exaustivo demais e tudo acabar em muito choro.

Não tente direcionar demais os brinquedos com que seu filho irá brincar, isso é chato para todo mundo. Apenas o estimule a explorar o que tem por perto e deixe o restante um pouco mais livre para as descobertas. 

A sua interação deve seguir mais o comando da criança do que o seu, para que eles se sintam encorajados a conhecer mais sobre o mundo. 

Mas, é claro, mantenha a segurança do pequeno. Não é porque ele decidiu explorar uma gaveta cheia de facas que você deve deixar.

Escolhendo o brinquedo ideal: veja as nossas dicas do que levar para o seu bebê

Não adquira brinquedos que são indicados para idades acima da que seu filho tem achando que vai ocorrer uma superestimulação e ele se tornará um gênio. O que é mais provável nesse caso é uma terrível sensação de frustração para todos os lados.

Também existe um fator pessoal envolvido na sua escolha, evite comprar coisas que estão na moda ou porque parecia bonito quando o vendedor te mostrou.

Não faça separação de gêneros em suas escolhas. Carrinhos, por exemplo, ajudam todos os bebês no processo de engatinhar, não apenas os meninos. E bonecas colaboram em estímulos de criatividade e socialização para todas as crianças, não apenas as meninas.

Leve em consideração adquirir brinquedos que garantam a estimulação por um período mais longo, assim poderá acompanhar seu filho por bastante tempo.

Brinquedos direcionados para cada salto de desenvolvimento

0 a 3 meses:

Como o bebê nessa fase ainda não consegue enxergar as cores, é interessante pensar em brinquedos que tenham tons que entrem em contraste um com o outro. Preto e branco, por exemplo.

Podem ser também brinquedos com sons, mas evite aqueles que fazem barulhos muito altos e desorganizados.

Objetos simples como móbiles e espelhos estimulam bastante as mãos, pés e trabalhos orofaciais (expressões).

3 a 6 meses:

Bolinhas com textura completamente diferentes umas das outras, chocalhos, livros com imagens bem básicas e um bom tapete interativo. Simples, né? Eles estão em uma fase muito boa para descobrir novas aventuras e esse é o momento perfeito para que explorem sensações diferentes.

6 a 12 meses: 

Agora temos a fase deliciosa das bonecas de pano, dos encaixes com formas geométricas, blocos de montar, carrinhos, torres que permitem a construção e destruição de uma cidade inteira, além da introdução aos primeiros instrumentos musicais.

Cada fase é repleta de maravilhosas descobertas. 

Não deixe de aproveitar todas elas!