Já podemos viajar como antes da pandemia?

Com mais de 50% da população mundial totalmente vacinada, há maior flexibilidade maior na entrada e saída de turistas nas fronteiras

A pandemia do novo coronavírus causou impactos significativos em diversos setores, inclusive no turismo, que se viu impossibilitado de manter algumas atividades mediante o fechamento das fronteiras. No entanto, com cerca de 59,6% da população mundial totalmente vacinada contra Covid-19, a esperança pela retomada total do setor se mantém forte entre os brasileiros.

Segundo a empresa de monitoramento de mercado e consumo Hibou, 43% da população tem planos para viajar ao longo de 2022. E não é para menos, afinal, aos poucos o turismo caminha em direção ao que era antes, apesar de alguns destinos ainda apresentarem restrições aos turistas.

Quem deseja pôr em prática os planos de viagem, antes de comprar passagens aéreas ou bilhetes, precisa analisar o cenário do turismo atual, a fim de entender o que é preciso para conhecer os destinos nacionais e internacionais.

Como está o cenário do turismo brasileiro

O turismo nacional começou o ano com alta de 22,9% em comparação ao mês de janeiro do ano anterior, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). A tendência é que, com o avanço da vacinação e a diminuição das restrições, os números permaneçam em alta ao longo do ano.

Em uma nota técnica publicada em abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou novas orientações para o turismo, entre elas o uso da vacinação como eixo central da política de fronteiras para todos os tipos de transportes, isso inclui terrestre, aéreo e aquaviário.

Sendo assim, é obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação completo para qualquer pessoa que pretenda viajar. No caso dos viajantes não vacinados, o órgão orienta que seja apresentado um resultado negativo de teste para Covid-19, realizado em até um dia antes de embarcar ou desembarcar no país.

Vale lembrar que as regras também são aplicadas para as crianças. No entanto, existem algumas orientações da Anvisa para o caso de pequenos não vacinados.

Crianças com idade inferior a 12 anos que estejam viajando acompanhadas estão isentas dos testes de infecção, no entanto, todos os acompanhantes devem apresentar documentos não reagentes para o vírus, realizado até um dia antes da viagem.

Crianças com idade entre dois e 12 que estejam viajando desacompanhadas deverão apresentar documento com resultado negativo ou não detectável. Menores de 2 anos não precisam apresentar testes.

O uso de máscaras, por sua vez, passou a ser facultativo em todos os estados brasileiros. No entanto, é preciso consultar a obrigatoriedade antes de viajar para o destino, pois alguns locais ainda exigem o acessório em locais fechados, no transporte público e em ambiente hospitalar.

Como está o turismo para destinos internacionais

Cada vez mais as fronteiras se abrem para os turistas brasileiros. Isso porque, ainda no início do ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que os países suspendessem ou flexibilizassem as restrições de viagens relacionadas ao coronavírus.

A queda nos números de casos também fez com que alguns países retirassem todas as exigências para a entrada de turistas do Brasil. Segundo um levantamento do Poder360, Liechtenstein, Moldávia, República Tcheca e Romênia relaxaram com as restrições e atualmente permitem a entrada mesmo sem a apresentação da caderneta de vacinação e testes negativos contra a doença.

Para comprovar a vacinação brasileira em outros países é preciso ter um certificado redigido no idioma do destino. O documento pode ser emitido em inglês ou espanhol por meio da plataforma ConecteSUS, do Ministério da Saúde. O aplicativo está disponível para smartphones dos sistemas operacionais iOS e Android, podendo também ser acessado pelo navegador.

Já podemos viajar como antes da pandemia