VGBL Regressivo

VGBL Regressivo: Tire suas dúvidas sobre este tipo de previdência

Entenda quais são as principais características do plano de previdência VGBL regressivo

Está pensando em investir na previdência privada? Então, você precisa aprender a diferença entre os planos de previdência privada e os regimes de tributação. Neste artigo, vamos abordar todos os detalhes sobre o VGBL regressivo. 

É fundamental que você entenda a forma como o plano de previdência será resgatado e como a tributação agirá sobre o valor. Isso é importante para escolher o melhor plano de previdência e regime de tributação para o seu perfil de investidor. 

O que é VGBL? 

O VGBL é a sigla de Vida Gerador de Benefícios Livres. Essa é a opção de previdência privada recomendada para quem faz a declaração de Imposto de Renda (IR) simplificada. O plano também é recomendado para quem deseja investir mais do que 12% da renda bruta anual tributável. 

Em relação à questão do resgate, o VGBL tem um impacto menor sobre o resgate a longo prazo do plano de previdência porque o IR só é descontado em cima do rendimento do capital, não incidindo sobre os aportes realizados durante o período. 

VGBL x PGBL 

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é o modelo mais recomendado para quem faz a declaração completa de IR, que permite a dedução de gastos dedutíveis fazendo com que o investidor pague menos impostos. 

Já o VGBL é uma opção para quem deseja ter um rendimento maior no futuro. O VGBL também lhe ajuda a definir quais herdeiros podem herdar o capital acumulado. Ambos os planos são de acumulação e possuem as mesmas taxas. 

A principal diferença entre VGBL e PGBL é em relação ao tratamento fiscal. Em ambos, o pagamento de IR só acontece na hora do resgate do benefício. Porém, o VGBL tem uma certa vantagem na fase do resgate. 

Dessa forma, no PGBL o IR incide sobre o valor total acumulado, enquanto no VGBL o IR desconta a porcentagem apenas sobre os rendimentos do capital no período. 

O que é a tributação de tabela regressiva? 

Outro fator importante para aproveitar as vantagens do VGBL é se atentar aos regimes de tributação dos planos de previdência. A tabela regressiva é bastante recomendada para quem deseja resgatar o valor acumulado somente no vencimento do plano. 

A alíquota de IR depende do tempo que o dinheiro ficará aplicado. Confira abaixo o percentual da alíquota de Imposto de Renda na Tabela Regressiva:

  • Até 2 anos – 35%
  • Entre 2 e 4 anos – 30%
  • Entre 4 e 6 anos – 25% 
  • Entre 6 e 8 anos – 20%
  • Entre 8 e 10 anos – 15%
  • Acima de 10 anos – 10%

Como os planos de previdência VGBL são focados em resgate no futuro, 10 anos pode ser considerado um prazo curto para resgatar o dinheiro. Então, uma alíquota de 10% representa um percentual de imposto baixo em relação a tabela regressiva, por exemplo. Isso se torna ainda mais vantajoso se o investidor fizer aportes consideráveis ao longo do tempo. 

Posso mudar do VGBL progressivo para o regressivo? 

Sim, você pode. De acordo com a legislação brasileira, um investidor pode mudar o regime tributário do seu plano de progressivo para regressivo. Porém, é importante frisar que o tempo percorrido no regime anterior não conta após a mudança para a tabela regressiva. 

Então, basicamente ao mudar de regime tributário, o tempo de acumulação começa do zero. Dessa maneira, para que a alíquota de 10% seja aplicada num resgate futuro, será preciso acumular valor por mais de 10 anos. 

Como contar o tempo na tabela regressiva? 

No caso de resgate, a contagem do tempo na tabela regressiva é feita com base na metodologia do “primeiro entrar, primeiro sair”. Assim, a alíquota de IR será definida de acordo com o montante resgatado e o aporte mais antigo. Então, se isso foi feito há mais de 10 anos, a alíquota será de 10%, se isso acontece há 8 anos, a alíquota será de 15% e assim por diante. 

Agora se o valor não for resgatado integralmente, o que acontece no caso de a pessoa querer receber uma aposentadoria, recebendo um valor mensal do montante aplicado, a metodologia de contagem é outra. 

Neste caso, o tempo de acumulação é considerado pela média ponderada dos valores acumulados ao longo do tempo. Então, se o investidor se aposentar após 16 anos de contribuições, o tempo de acumulado será de 8 anos e a alíquota será de 15%, independente do valor do benefício. 

O VGBL regressivo é um plano de previdência indicado para quem pensa em guardar valores para o futuro. A maior vantagem deste plano é quando o investidor faz aportes regulares por mais de 10 anos para se aproveitar de uma alíquota de IR baixa e que incide apenas no rendimento do plano no período. 

Então, se você pensa a longo prazo e quer garantir o seu futuro, o VGBL regressivo é uma excelente opção!