Perspectivas do e-commerce para 2022 e 2023

É fato que o e-commerce já está consolidado no mercado, principalmente devido à pandemia do COVID-19 e o amadurecimento do consumidor em relação às compras on-line, atingindo áreas que ninguém poderia imaginar. Inclusive, somente em 2021 foram gerados 87 bilhões de reais, sendo que apenas no primeiro semestre, o crescimento foi de 57,4% em comparação ao ano anterior. Portanto, para o ano de 2022, a expectativa é que o cenário continue positivo, principalmente com a maior adoção de galpões logísticos e novas estratégias. Então, se quiser saber mais sobre o assunto, continue acompanhando o post de hoje até o fim e saiba quais são as perspectivas.

O e-commerce no Brasil

O coronavírus foi responsável por trazer diversas tecnologias à vida das pessoas, especialmente devido ao confinamento e tempo livre causado pelo desemprego. Esse conjunto de fatores fez com que muitos colocassem em prática suas ideias de negócio no mundo digital e, de acordo com a pesquisa realizada pela Spark Hero, 54% dos empreendedores em negócios digitais começaram durante a crise que se intensificou com a pandemia.

Como consequência, as compras digitais aumentaram mais de 70% em 2021, trazendo ainda mais força no ano de 2022. Inclusive, segundo os dados trazidos pelo Relatório Setores do E-commerce, da Conversion, os principais e-commerces brasileiros, como Mercado Livre, Amazon e Americanas, receberam cerca de 1,76 bilhões de acesso somente em janeiro desse ano. Mesmo esse sendo considerado, historicamente, o mês mais fraco em vendas, o setor teve alta de 1,89% em comparação com o mês de dezembro. Nesse sentido, os setores que mais ganharam destaque nesse período foram Farmácia e Saúde, Educação, Livros e Papelaria, e Casa e Móveis, respectivamente.

Perspectivas para o futuro

Ainda que o setor de comércio eletrônico esteja mais estabilizado em relação ao período pré-pandemia, especialistas mostram que as vendas não vão diminuir, pelo contrário, a tendência é que para 2022, o crescimento fique entre 10% a 15% comparado ao último ano, com faturamento estimado de R$ 125 bilhões. Entretanto, vale lembrar que isso pode ser prejudicado devido à inflação, dólar e projeção pessimista do PIB dos últimos tempos.

Mas, pensando além desse ano, uma pesquisa desenvolvida pela Euromonitor International e o Google, o crescimento do e-commerce no país está estimado em 42% entre os anos de 2021 e 2025. Mas, mais do que isso, 25% dos novos consumidores será composto pela geração Z, aqueles que nasceram entre 1995 e 2010.

Principais tendências para o ano de 2022

Com todas essas perspectivas positivas, é importante ficar atento às tendências para este ano, a fim de aumentar as vendas e manter-se atualizado no mercado. Afinal, é um segmento que sofre muitas transformações em um curto período de tempo. Portanto, confira abaixo algumas das principais tendências para o ano de 2022 no e-commerce:

Meio de atendimento

Uma das tendências é a compra por um atendimento on-line, sendo mostrado por pesquisas que 46% dos clientes já compraram pelas redes sociais, WhatsApp e outros canais digitais. Inclusive, cada vez mais encontramos chats disponíveis nos sites das lojas para ajudar em dúvidas e, claro, a fechar a compra.

Entrega

O consumidor se tornou ainda mais exigente com a pandemia, sendo que o tempo de entrega de um produto, seja alimentício, de beleza, eletrônico, etc, é um dos principais fatores quando falamos em satisfação. Portanto, muitos investiram em galpões industriais e logísticos, a fim de otimizar as entregas e melhorar a experiência dos consumidores.

Caschback

É fato que a busca por melhores preços é algo presente, tornando o meio on-line ainda mais atrativo. Inclusive, lojas que oferecem cupons de desconto ou cashback ganham ainda mais destaque e têm atraído até mesmo bancos para oferecer esse tipo de benefício aos clientes.

Metaverso

É impossível não falar sobre o Metaverso, sendo que as experiências de imersão em ambientes digitais vão ganhar ainda mais adeptos. Nesse sentido, a realidade virtual será uma grande aliada tanto para quem quer se divertir e fazer compras quanto para os vendedores.

Omnichannel

Graças ao Omnichannel, as lojas vão estar ainda mais presentes na vida dos consumidores, com uma divisão entre físico e on-line cada vez mais sutil. Por exemplo, uma compra digital pode ser retirada na loja física e vice-versa.

Lives

É cada vez mais comum que pessoas façam lives para mostrar os produtos em tempo real, direcionando os usuários a uma página para finalizar a compra ou até mesmo realizando a venda de produtos durante a própria live.

Marketplaces

Por fim, os marketplaces vão ter ainda mais presença em 2022, sendo um meio para conectar lojistas menores e pessoas que querem comprar.

Então, como você viu, por mais que o isolamento já não seja mais necessário, o e-commerce ganhou muita força devido à pandemia e, mesmo sendo possível visitar lojas físicas, ele irá continuar crescendo. Afinal, as pessoas entenderam as facilidades promovidas por ele, assim como os próprios lojistas, que começaram a utilizar a tecnologia a seu favor.  

Perspectivas do e-commerce