Quais são os riscos dos leitores por reconhecimento facial?

Não é novidade para ninguém que o advento da tecnologia chegou para ficar, e com ela veio junto uma série de benefícios e malefícios.

Uma dessas novas tecnologias que divide opiniões é a do reconhecimento facial, por um lado essa nova tecnologia traz benefícios de segurança e mais dificilmente é fraudável, por outro lado, os usuários temem que esta tecnologia pode invadir e desrespeitar a privacidade do usuário

Há mais de 70 anos o escritor George Orwell escreveu algo que se assemelha à realidade atual “Sempre aqueles olhos observando a pessoa e a voz a envolvê-la. Dormindo ou acordado, trabalhando ou comendo, dentro ou fora de casa, no banho ou na cama — não havia saída”.

Este comentário feito há 71 e um anos para ser mais exato é extremamente atual, e parece que foi feito por uma pessoa que está presente entre nós.

Cada dia que se passa os processos e métodos possuem cada vez mais automação o que acaba por gerar divergências dentro da própria comunidade.

Um mapeamento feito por uma empresa que possui foco em desenvolver tecnologias para proteger os dados pessoais dos usuários na internet, uma pesquisa feita, mostrou que 98 países utilizam tecnologias de reconhecimento facial para monitorar a população de alguma forma.

Dos 194 países analisados apenas 68 reprovam o uso das tecnologias para controle de massas.

Como funciona o software de reconhecimento facial

Essa tecnologia está presente no nosso dia a dia, muito usada para desbloquear smartphones e equipamentos eletrônicos, no entanto ainda há aplicativos que possuem acess o aos dados faciais do usuário, como por exemplo os faceapps, aplicativos com fins de divertir e entreter os usuário que por meio da tecnologia transforma as características faciais dos usuários.

Você mesmo já deve conhecer, recentemente viralizou o uso do aplicativo, pois gerava transformações em que deixavam o rosto com aspecto muito mais velho, ou com características que simulavam o rosto de um recém nascido.

Durante a pandemia a tecnologia evoluiu ainda mais, principalmente em países como a Rússia e a China, que chegaram ao ponto de identificar os rostos mesmo cobertos pelo uso das máscaras. E agora também monitoram a temperatura corporal, de modo que conseguem identificar e rastrear pessoas que resolveram fugir da quarentena.

A expectativa é que esse mercado continue a crescer ainda mais e dobra de preço e tamanho dentro de cinco anos, justificando assim a preocupação.

No ano de 2019 as maiores empresas do mundo começaram também a utilizar a tecnologia para identificar melhor seus usuários, empresas como : Facebook, Instagram, Apple, Google, Amazon e Microsoft.

A linha tênue

A verdade é que existe um equilíbrio muito delicado entre o mundo utópico onde a tecnologia vai ser usada somente para o nosso bem e o mundo imaginado por George Orwell, citado no começo deste artigo.

O mundo carece de uma legislação que proteja e assegure o usuário e pessoas comuns, assim como eu e você.

Um estudo recente realizado no continente Europeu mostra que 80% da população não é a favor de ter seus dados e seu rosto públicos e usados como mercadoria.

Risco a privacidade

Apesar dos benefícios aparentes e da clara boa intenção, esta tecnologia levanta muita suspeita e com razão.

A plataforma FaceApp, por exemplo, que é uma das que mais bombaram com filtros para o rosto, possui uma vaga política de privacidade, que solicita ao usuário uma série de permissões de acesso a dados que não correspondem com o intuito principal do aplicativo.

Além dos acessos a dados desnecessários dos usuários, as permissões que este aplicativo pede são muito amplas, podendo dar a entender que eles podem usar ou vender seus dados para fins pessoais.

Para solucionar os problemas é necessário que a Lei de Proteção Geral de Dados seja atualizada para que tenha maior clareza em como os aplicativos, plataformas e redes sociais vão utilizar os dados e características dos usuários.

Prós e contras da tecnologia

Uma ferramenta que começou com uma ótima intenção.

Por meio dela é possível gerar uma maior segurança, uma vez que é dificilmente clonada e permite pequena margem de erro.

  • Maior precisão e segurança – O reconhecimento é muito superior à biometria, que atualmente é a principal ferramenta de segurança pessoal. Possui muito menos chance de ocorrer um erro. Gerando maior segurança para os itens pessoais;
  • Criptografia – A grande maioria dos dispositivos não compartilham as informações de reconhecimento facial com nenhum outro banco de dados, dessa forma, as suas informações ficam seguras dentro do dispositivo.

Contras:

  • Risco a sua privacidade – O risco não está presente em seu celular ou computador, mas sim em aplicativos que realizam alterações nas proporções e detalhes do seu rosto, esses apps exigem autorizações infinitas e acesso a quase todas as informações sobre você, e não justificam os motivos para as autorizações.
Quais são os riscos dos leitores por reconhecimento facial