Quando devo ir ao dermatologista

Quando devo ir ao dermatologista?

Sabemos que a pele é o maior órgão do corpo e por ser responsável pela proteção e revestimento do nosso corpo, ela é um órgão que requer atenção.

Existem cuidados que podem ser feitos diariamente para cuidar da pele, como mantê-la hidratada, higienizada e protegida dos raios solares.

Contudo, existe um profissional especialista nos cuidados e tratamentos relacionados à pele, o dermatologista. Ao mesmo tempo que um dermatologista é o profissional responsável por cuidar da pele, ele também pode cuidar dos pelos, das unhas e do cabelo.

O dermatologista pode realizar a prevenção e o tratamento de acnes, alergias e até mesmo do câncer de pele, porém, com toda essa importância, quando falamos em dermatologia a maioria das pessoas atribui a função apenas a tratamentos estéticos, compreensão que está extremamente equivocada.

Esse equívoco acarreta em outro problema: a maioria das pessoas não sabe quando deve procurar um dermatologista!

Após discorrermos sobre a atuação do dermatologista, em sequência, abordaremos qual o período em que se deve procurar esse profissional.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, incluindo acne, herpes, vitiligo, alergias, psoríase, verrugas, queda de cabelo e câncer de pele, existem mais de três mil doenças dermatológicas.

Assim, realizar uma consulta com um dermatologista irá te possibilitar procurar por sinais de doenças que possam estar afetando a sua pele ou outros órgãos, como a dengue e o sarampo.

Quando surgem manchas e pintas suspeitas na pele

É fato que quando surge um sinal na pele, na maioria das vezes é benigno, porém, somente um dermatologista será capaz de avaliar e afirmar que aquele sinal é benigno e não maligno.

Por isso, assim que surgir um sinal diferente na sua pele, não hesite em procurar um dermatologista o mais rápido possível.

Outros sinais que requerem sua atenção são lesões, como foliculite e furúnculos, queloides, o excesso de pelos, caspa, cistos e verrugas.

O que cada sinal pode significar

Agora que esclarecemos a importância que a atuação de um dermatologista possui e quais são os sinais iniciais que devem te deixar em alerta para então procurá-lo, abaixo iremos citar alguns dos sinais mais comuns e suas possíveis causas e consequências.

  • Cravos e espinhas

A acne é uma lesão provocada pela produção em excesso de sebo pelas glândulas sebáceas, o que faz com que ocorra um aumento na oleosidade da pele e favorece o acúmulo de sujeira nos poros. Esse acúmulo ocasiona a proliferação de bactérias e resulta em cravos e espinhas. Além disso, existem outros fatores que podem levar a produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas, como fatores genéticos, fatores hormonais, estresse e fatores climáticos.

  • Coceiras, vermelhidão e descamação na pele

As descamações, coceiras e a vermelhidão na pele podem ser originárias de diversos fatores, desde picadas de insetos até a um possível câncer que esteja se desenvolvendo. Quando surgem manchas avermelhadas na pele e que coçam, elas podem ser em decorrência de alguma alergia ou de algum tipo de dermatite.

Caso essas lesões não sejam tratadas de maneira correta, podem surgir feridas, em consequência da coceira e também infecções na pele.

  • Pele seca ou oleosa

Somente um dermatologista pode indicar produtos específicos para cada tipo de pele, desde protetores solares até tipos de tratamento.

  • Unhas fracas ou com manchas

As unhas frágeis, quebradiças ou que estão descamando podem indicar irritações, deficiências nutricionais e algumas doenças como micose, anemia, psoríase e distúrbios da tireoide.

Esses são sinais de alerta graves, que devem ser avaliados por um dermatologista imediatamente, pois podem ser decorrentes de quadros de diabete ou  de problemas respiratórios e doenças cardiovasculares.

  • Queda de cabelo ou fios quebradiços

A queda de cabelo é algo natural, mas que pode ser proveniente de alguns fatores, como alteração hormonal,  problemas na glândula tireóide, síndrome metabólica e micose no couro cabeludo. 

  • Suor em excesso e mau cheiro nas axilas ou nos pés.

Transpirar é algo normal, mas quando ocorre a sudorese excessiva, ela pode causar alguns incômodos. Além desse fator, a hiperidrose é uma condição que pode surgir nas axilas e nos pés, causando um odor desagradavel, que não é possível eliminar sem a ajuda de um dermatologista.