As indústrias e sua extrema urgência em prestar atenção ao meio ambiente

As indústrias e sua extrema urgência em prestar atenção ao meio ambiente

No dia 05 de junho todos os anos é celebrado o dia do Meio Ambiente e diversas atividades são realizadas nessa data para nos lembrar da importância de manter o ambiente limpo e saudável para que todas as formas de vida consigam estar em equilíbrio natural, evitando ao máximo a intervenção do homem.

É de conhecimento que as indústrias fazem alta queima de carvão como forma de produzir energia, além dos produtos que são utilizados como solventes dentro daquelas que trabalham com químicos e minerais. Esses são os grandes responsáveis pela poluição do ar que respiramos.

Em nosso país temos uma data que celebra o dia nacional do controle da poluição industrial, que foi registrado no dia 14 de agosto, mas sinceramente, nossa situação não é tão boa quanto essa data nos faz pensar. 

Apesar do Pronar (Programa Nacional de Monitoramento da Qualidade do Ar) ter sido criado há mais de 30 anos com a intenção de se atentar aos níveis de partículas poluidoras que são emitidas em todos o Brasil, não são todos os estados que contam com esse controle de extrema importância para a nossas vidas.

Infelizmente, os gases de combustão, que são muito ligados à nossa economia, mas que também afetam diretamente o meio ambiente, ainda estão sendo utilizados de forma descontrolada por muitos e essa é uma das principais fontes que prejudicam a atmosfera.

Ainda temos muitos empresários que, como uma prova de descuido e desmazelo com sua indústria e com a vida da população, não percebe que é necessário prestar atenção redobrada a essas questões e que nosso planeta está pedindo por socorro.

A poluição atmosférica precisa ser levada mais a sério. Se fora do controle completamente, ela pode até mesmo levar a humanidade a sua extinção. Não dá para respirar sem ar para isso. 

No caso das indústrias, os males ocorrem pela emissão de diversas partículas que podem ser emitidas em estado líquido, gasoso ou em forma de material biológico. Uma vez em contato com o ar, o torna irrespirável. 

Com a revolução industrial e, depois, uma aceleração absurda chegando com o século XIX, a queima do carvão se tornou uma realidade ainda mais constante. 

Citando uma tragédia para se ter noção do quanto esse fato é relevante, em 1952, uma indústria de Londres permitiu que partículas químicas misturadas com enxofre chegassem ao ar e matassem pelo menos 4 mil pessoas. Todas mortas por problemas na respiração. 

Esse deslize ainda causou vítimas mesmo depois de alguns meses. Mais de 8 mil pessoas morreram posteriormente e 100 mil ficaram doentes. 

São exemplos como esse – que é apenas um citado, mas que se procurarmos encontraremos mais – que devem sempre ser lembrados para que as pessoas tentem manter o mínimo de responsabilidade quando se trata de uma indústria.

Outra situação que já é bem conhecida pela maioria das pessoas, embora ainda negada por alguns que são os radicais da destruição, é o problema com a camada de ozônio e o efeito estufa que causa em nosso planeta. 

Por causa dela, um poluente chamado Clorofluocarboneto (CFC) foi banido do mundo. Não bastasse aumentar o buraco na camada, ele ainda causava câncer de pele. Tinha motivos para ser eliminado de vez, certo?!

Agora imagina que um químico poderoso como esse, altamente cancerígeno, estava em forma de gás em produtos que você tinha na sua casa, como ar-condicionado, sprays e geladeiras. 

Para a saúde humana, o impacto é muito sério. Poluentes no ar podem causar tosses, problemas nos olhos, nariz e garganta, além de dificuldade de respirar. Existem alguns que são ainda mais agressivos e desenvolvem câncer, além de destruir seu sistema reprodutor e imunológico. 

O enxofre no ar aumenta a quantidade de chuvas ácidas, que atrapalham todos os plantios.  Outros elevam a temperatura do nosso planeta, que faz acelerar o derretimento das nossas calotas e se tornam uma ameaça para a fauna e a flora.

O mais triste disso é que não há razões reais para esse tipo de acontecimento já que existem normas que determinam quais são as ações que devem ser realizadas para que uma empresa fique dentro dos limites permitidos sem precisar parar de trabalhar para isso.

A própria tecnologia, cada vez mais empenhada em nos salvar de um futuro bem assustador, apresenta soluções bem práticas para que tudo finalmente se encaixe. Há máquinas cada dia mais potentes que impedem que esses poluentes alcancem o ar, com diversos modelos e funções incríveis. Logo, não há muitos motivos para desculpas.

O lavador de gás, por exemplo, conseguem reter essas partículas tóxicas e impedir que retornem ao meio ambiente. E eles são super simples. 

Precisam de pouca manutenção, o que significa que seu investimento não vai ficar gerando mais despesas no seu orçamento. Possuem um desempenho que se mostra constante, é silencioso e também não demanda um espaço gigante em seu local de trabalho. Ah, e também possuem uma vida útil bem longa já que é produzido com material resistente à corrosão.

Nada como trazer benefícios para todos, tornando a vida da sua indústria e dos demais seres vivos também bem longa e saudável.