Um conhecimento importante que todo microempreendedor precisa ter é o de como blindar sua microempresa no setor jurídico. Isso porque não importa o tamanho do negócio, existem diversos riscos jurídicos que podem trazer consequências negativas para o seu empreendimento e resultar em problemas no futuro. Por isso, saber como se prevenir dessa situação é importante para a saúde da sua empresa. 

Blindar sua microempresa

Muitos empreendedores consideram que esse tipo de ação não é importante para microempresas. Afinal, apenas grandes negócios devem se preocupar com esse tipo de coisa, não é mesmo? Na verdade, não. Mesmo microempresas (que correspondem à maioria das empresas do país) podem sofrer com problemas jurídicos e precisam estar blindadas para não ter problemas.

A notícia boa é que, por serem pequenas e com poucas atividades, fica mais fácil protegê-las. Quer saber como blindar sua microempresa no setor jurídico? Então siga a leitura abaixo! 

Como blindar sua microempresa no setor jurídico em 5 passos 


1. Entenda os riscos que você corre


Um dos primeiros passos para proteger a sua empresa de problemas jurídicos é, certamente, entender quais são os riscos que você corre. Afinal, não há como se prevenir do que não se conhece ou dos cenários que são imprevisíveis, não é mesmo?

Por isso, uma das primeiras ações a fazer é anotar em um papel todos os riscos que a sua empresa pode correr, separando-os em riscos previsíveis e não preveníveis. Por exemplo, o risco de uma pandemia como a Covid-19 chegar e falir a sua empresa é não prevenível. Não há o que você possa fazer para evitar uma pandemia dessas. Já o risco de falir por não ter uma reserva de dinheiro é previsível. Você pode criar essa reserva de emergência a seu favor.

Veja todas as possibilidades de problemas jurídicos que possam ocorrer, como processos trabalhistas, falhas contábeis, desvio financeiro e outros. Isso dará uma base de como começar a se proteger. 

2. Faça uma avaliação das suas condições


Depois de identificar os riscos que a sua empresa sofre, é hora de pensar em quais são as suas condições de proteção. Por exemplo, suponha que você é uma cidade medieval e os riscos são exércitos invasores. Quais são as suas opções para lidar com a situação? O que você pode fazer? Quais são os recursos disponíveis?

Ao fazer essa avaliação, você pode ter a percepção de quais são os passos que você pode ou deve seguir em primeiro ou segundo lugar. Por exemplo, alguns riscos podem ser facilmente resolvidos com alguns passos burocráticos. Outros exigem recursos financeiros. Isso permitirá que você trace uma lista de prioridades e de ações para poder cobrir todos os riscos possíveis. 

3. Tenha apoio profissional ao seu lado


Depois de fazer essa análise preliminar, é hora de procurar por apoio profissional. Isso é importante pois especialistas no assunto podem enxergar brechas que você não viu e sugerir ações mais eficazes para resolver o problema.

Uma sugestão é a PAE, Plataforma de Apoio ao Empresário. Trata-se de um grupo criado para ajudar empreendedores a resolverem problemas, blindarem-se juridicamente e terem suporte para que passem por crises, como essa da pandemia do novo coronavírus.

Contar com esse tipo de ajuda multidisciplinar e vinda de quem tem anos de experiência no mercado, pode ser o diferencial entre uma empresa bem blindada e outra com brechas exploráveis. 

4. Estabeleça rotinas de prevenção


Para uma microempresa, não existem muitas opções para prevenir certas questões. Não há, por exemplo, muito recurso disponível para grandes projetos jurídicos. No entanto, também há menos riscos por ser um negócio mais simplificado.

Portanto, uma boa ideia é ter rotinas de prevenção de problemas jurídicos na sua empresa, desde um sistema de contratação que não dê margem para processos trabalhistas até um controle contábil preciso para evitar problemas.

Agir pouco a pouco, dia a dia, é uma das melhores formas de evitar problemas em longo prazo, especialmente para micro e pequenas empresas. 

5. Tenha um bom compliance jurídico


Por fim, é essencial implementar e seguir um compliance jurídico no seu negócio. Esse termo parece complicado e algo direcionado apenas para grandes empresas, mas não é. Um compliance é uma estratégia que consiste no planejamento e na implementação de ações que vão prevenir problemas jurídicos.

Esse serviço pode ser feito por advogados ou contadores especializados no assunto. Ao contar com esse apoio, sua empresa fica com uma estrutura documentada para evitar problemas.

Pronto! Agora que você já entendeu como blindar sua microempresa no setor jurídico, pode começar a proteger o seu negócio da melhor maneira possível em momentos de crise ou mesmo no dia a dia empresarial normal. Portanto, é hora de colocar o conhecimento em prática e estabelecer as primeiras ações para prevenir processos ou problemas jurídicos no seu negócio.

Gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!
Postagem Anterior Próxima Postagem