Atualmente, a maioria das pessoas já ouviu falar sobre o bitcoin em algum momento. Para aqueles que fazem parte do mercado financeiro, o tema das criptomoedas com certeza já esteve presente.

bitcoins
 

Investidores viram nas moedas digitais uma possibilidade de lucro a partir da sua compra e venda, baseando-se nas oscilações de preço a que estão submetidas.

É claro que o bitcoin é a mais importante e popular delas, mas o fato é que, desde a sua criação, diversas outras moedas digitais foram lançadas. 

Com inspirações no bitcoin e na tecnologia por trás dele, o blockchain, desenvolvedores decidiram fazer algumas melhorias e criar novas criptomoedas. São as chamadas altcoins, as moedas digitais alternativas ao bitcoin.

Seja para o investidor profissional ou para pessoas interessadas nas finanças pessoais, é sempre importante tomar conhecimento de tudo que pode fazer seu dinheiro render. Siga a leitura e entenda o que é bitcoin e quem são as altcoins, essas moedas que também estão atraindo a atenção de investidores. 

O que é bitcoin?


Bitcoin é uma criptomoeda criada em 2009 por uma pessoa ou grupo de desenvolvedores sob o pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Por ser uma moeda digital, ela fica guardada em carteiras digitais. 

Diferentemente das moedas tradicionais como o real e o dólar, o bitcoin não tem um material físico - notas e moedas - para representá-lo nas trocas monetárias. O bitcoin existe apenas no universo digital e todas as suas transações são realizadas online.

O surgimento do bitcoin teve como base o desenvolvimento de uma nova tecnologia chamada de blockchain. Blockchain significa “cadeia de blocos” e é um sistema descentralizado composto por diversos nós de uma rede que adicionam informações aos blocos, ligando uns aos outros.

Mas o que isso significa? Até então, nossa forma de lidar com as finanças dependia de uma instituição superior, como bancos e governos. O governo emite o dinheiro, ao passo que fazemos uso dos bancos para guardá-lo, e, principalmente, realizar transferências. 

Quando fazemos uma troca com alguém, confiamos no banco para garantir essa troca entre as duas partes, gerando um comprovante da transação. Isto é, é um sistema centralizado, que depende de um ponto central para mediar a relação entre as pessoas.

Já o blockchain é um sistema descentralizado, que não depende de uma autoridade principal. Diversos computadores espalhados por todo o mundo fazem parte da rede que acompanha, testemunha e valida as transações que acontecem no blockchain. 

Para uma transação ser realizada, é necessário que 51% dos participantes dessa rede confirmem e validem a transação. Por isso, o blockchain é considerado um sistema moderno e extremamente seguro. 

Caso haja alguma falha em algum nó dessa rede, isso não irá prejudicar o sistema como um todo. Já no caso de bancos e governos, sabemos que questões políticas e econômicas, ou até mesmo, falhas técnicas, podem afetá-los, o que prejudicaria milhares de clientes e cidadãos.

Os computadores que participam da rede do blockchain processam cálculos complexos e gastam muita eletricidade. Por isso, eles são recompensados por cada transação validada, recebendo como pagamento uma determinada quantidade de bitcoins. E é assim que mais bitcoins são criados e entram em circulação, a partir desse processo que é chamado de mineração. 

O que são as altcoins?


As altcoins são as moedas que foram lançadas após o bitcoin. Elas trouxeram inovações, melhorias tecnológicas, e, até mesmo, propostas diferentes. Muitas delas nasceram a partir de uma bifurcação, um processo chamado de “fork do bitcoin”, no qual os programadores aproveitam o código de desenvolvimento do bitcoin, usando-o como base para atualizar e criar uma nova criptomoeda.

Existe uma quantidade enorme de altcoins no mercado de criptomoedas, porém algumas das mais conhecidas são: Ethereum (ETH), Litecoin (LTC) e Ripple (XRP). Essas moedas digitais figuram no TOP 10 das criptomoedas mais negociadas no mercado.
Quais são as diferenças entre o bitcoin e as altcoins?

No geral, assim como o bitcoin, as altcoins prezam muito pela segurança nas transações, a partir de sistemas modernos, transparentes e inteligentes. Por outro lado, elas também apresentam algumas diferenças: 

Velocidade


Entre as principais melhorias que as altcoins trouxeram está o aumento da velocidade de processamento do bloco. 

Como o bitcoin depende de um processo chamado de mineração para a validação dos blocos, as altcoins buscaram alternativas para facilitar e agilizar esse método. O bitcoin demora 10 minutos para processar um bloco, ao passo que o litecoin, por exemplo, demora 2 minutos e meio. 

Preço


Uma das diferenças mais visíveis entre o bitcoin e as altcoins é o preço. O bitcoin é a moeda digital mais valorizada no mercado atualmente, apresentando o preço mais alto. Para fins de comparação, no ano de 2020 o bitcoin já chegou a custar mais de R$50.000,00 enquanto o valor do litecoin hoje varia dentro da faixa de R$200,00 a R$400,00. 

Objetivo


Algumas altcoins apresentam premissas um pouco diferentes do bitcoin, como é o caso do ripple. O ripple também tem o intuito de defender a descentralização, porém, ele trouxe a proposta de se aproximar dos bancos, diferentemente do bitcoin que buscava não se associar a eles. 

O que essa altcoin apresenta é a possibilidade de os bancos utilizarem a tecnologia do protocolo de pagamentos do ripple em seus sistemas. Com isso, a ideia é trazer mais segurança e rapidez para as transações bancárias - de qualquer moeda - a partir da modernidade que as criptomoedas desenvolveram. 

Tecnologia


As altcoins apresentam um algoritmo próprio, mesmo que tenham usado como base o código do bitcoin. Além disso, nem todas usam a tecnologia do blockchain, apresentando diferentes estruturas de funcionamento. 

Vale a pena investir?


Para aqueles que apresentam interesse em investir nas criptomoedas, uma boa dica é diversificar a carteira.

É claro que o bitcoin é a mais popular moeda digital nos dias de hoje, além de ser a maior em volume de negociações. Porém, existem outras criptomoedas com grande potencial de crescimento. Por isso, pode ser eficaz alocar uma pequena parte dos seus recursos em algumas moedas alternativas. 

Um dos aplicativos que mais usuários tem no Brasil e que permite investir em Bitcoin e nas principais criptomoedas, é a IQ Option. O Aplicativo corre em todos os celulares, é gratuito e simples de usar. 

A tendência é que no início as moedas apresentem preços baixos, e quanto mais se tornam conhecidas, esse preço aumenta. Logo, uma estratégia que alguns investidores apostam é comprar altcoins enquanto ainda estão mais baratas, esperar a valorização e vender quando seu preço aumentar.
Postagem Anterior Próxima Postagem
Cupom de desconto workana de R$ 100,00