Segunda graduação


Cursar e concluir uma graduação é uma caminhada que pode exigir muito das pessoas. Para obter um diploma de ensino superior o aluno precisa dedicar tempo e muito estudo para dar conta de aulas, tarefas e provas.

A formatura da faculdade é quase sempre um marco, uma das grandes conquistas na vida das pessoas. E, ainda assim, tem gente que escolhe passar por tudo de novo, com uma segunda graduação, seja de maneira presencial ou através de um curso a distância. Será que vale a pena?

Muitos estudantes terminam o ensino médio sem saber exatamente que careira desejam seguir. Cada vez pessoas mudam da área que estudam, seja por não se gostar da profissão, por conhecer e se identificar com outra área, ou por procurar outras oportunidades de mercado.

Também existe o caso de pessoas que adoraram seus cursos mas, ao entrarem no mercado de trabalho não se identificaram com o dia a dia da profissão. Pode ser também que o mercado de trabalho esteja supersaturado e o profissional não esteja conseguindo oportunidades de trabalho. Ou, às vezes, a pessoa simplesmente quer tentar começar uma carreira nova.

Seja qualquer uma das hipóteses que faz você considerar mudar de curso, uma coisa é certa: você não está sozinho. Existem muitas pessoas que optam por cursar uma segunda graduação e, na verdade, começar de novo não é um bicho de sete cabeças e pode ser muito vantajoso para você. Separamos aqui algumas situações onde se considera uma segunda graduação e pontuamos se vale a pena embarcar nessa ideia.

Vale a pena fazer uma segunda graduação?

Se você vai fazer outra modalidade

Se você já é bacharel em um curso de graduação e pretende cursar a licenciatura do mesmo curso ou vice e versa, a segunda graduação não é só uma ótima oportunidade para ampliar sua empregabilidade como para melhorar seu conhecimento e te dar ainda mais capacitação.

Nesses casos, o diploma vem um pouco mais rápido, não passando pelo tempo mínimo de três, quatro ou cinco anos para completar a graduação. Uma vez que muitas disciplinas entre bacharelado e licenciatura se cruzam, e você pode validá-las, sem a necessidade de cursá-las novamente.

Se você quer mudar de mercado de trabalho

Muitas pessoas passam por dificuldade para entrar no mercado de trabalho após concluir a faculdade. Às vezes o mercado está supersaturado e não existem muitas perspectivas de emprego.

Outras pessoas também se deparam com um mercado mais fechado na região onde moram e não estão dispostas a mudar, exigindo que elas procurem novas rotas profissionais. Seja qual for o caso, cursar uma segunda graduação por conta do mercado de trabalho exige que você, no mínimo, fique atento para não cair no mesmo problema novamente.

Pesquise as opções que lhe interessam e como estão as vagas para a sua nova profissão. Converse com pessoas que trabalhem na área e se informe antes de decidir por um curso. Lembre, que assim como na primeira vez, você passará anos da sua vida em função de um curso e de uma área do conhecimento, então não tenha apenas a ideia de empregabilidade em mente.

Se você não se identifica com a profissão

Você pode ser uma dessas pessoas que entrou no curso de graduação logo após do ensino médio e hoje não gosta mais da área. Ou você gostou muito do curso mas quando entrou no mercado de trabalho se deparou com uma rotina que não te interessou. Você pode ter cansado do que faz e está em busca de novos desafios profissionais. Ou simplesmente percebeu que é hora de dar uma chance para o que você realmente gosta de fazer.

Se você pensa em cursar uma segunda graduação mas já possui um emprego na sua primeira área, é o momento de avaliar de que forma você vai querer transicionar para outra área de conhecimento. Às vezes, uma possibilidade é começar um curso em que você possa conciliar trabalho e faculdade e, aos poucos, ir mudando suas perspectivas de emprego para um novo ofício. Existem cursos em diversos períodos e até mesmo um curso a distância pode ser uma boa opção para que você não mude bruscamente de ares.

Se sua segunda graduação vai complementar a primeira

Na mesma linha da mudança de modalidade, algumas pessoas optam por uma nova graduação porque ela poderá complementar sua primeira carreira, ou seu atual trabalho. Nesses casos, vale a pena ponderar se não existem cursos de menor duração que dariam conta da sua demanda. Por exemplo, se um Educador Físico abre uma academia, vale a pena ele cursar uma graduação em administração?

Nesse caso, ele poderia considerar a possibilidade de uma consultoria com administradores ou cursos de aperfeiçoamento. Ou ele pode considerar o curso um investimento a longo prazo, uma vez que a academia é o investimento de anos na carreira, é importante que ele tenha conhecimentos em administração não só para o início do negócio, como para que ele se mantenha por décadas.

Como cada caso é um caso, às vezes a melhor opção pode ser, de fato começar uma segunda graduação para ampliar seus conhecimentos e avançar profissionalmente. De qualquer forma, é preciso estar atento para o tempo e a dedicação que um curso superior exige, e ter organização para que nem a nova faculdade nem a carreira fique para segundo plano.

E você, o que acha? Vale a pena começar uma segunda graduação? Considera? Conta sua história pra gente aqui nos comentários!

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem